Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

10/09/2019 - 21h55min. Alterada em 10/09 às 21h55min

Nos EUA, guerra comercial e medo de recessão minam confiança de pequenas empresas

Estadão Conteúdo
O índice de otimismo das pequenas empresas dos Estados Unidos recuou de 104,7 em julho a 103,1 em agosto, segundo a Federação Nacional de Empresas Independentes (NFIB, na sigla em inglês). A leitura foi a mínima desde março, com uma queda de 8 pontos porcentuais nas companhias que preveem que a economia melhore e uma baixa de 5 pontos porcentuais naquelas que esperam vendas reais mais altas.
O índice de otimismo das pequenas empresas dos Estados Unidos recuou de 104,7 em julho a 103,1 em agosto, segundo a Federação Nacional de Empresas Independentes (NFIB, na sigla em inglês). A leitura foi a mínima desde março, com uma queda de 8 pontos porcentuais nas companhias que preveem que a economia melhore e uma baixa de 5 pontos porcentuais naquelas que esperam vendas reais mais altas.
Presidente da NFIB, Juanita D. Duggan afirma no comunicado da entidade que muitas previsões de recessão "estão provocando um efeito psicológico e criando incerteza para donos de pequenos negócios pelo país". Segundo ela, contudo, os donos das pequenas empresas continuam a investir, crescer e contratar "em níveis historicamente altos e nós não vemos indicação de uma recessão por vir".
Já na avaliação da Capital Economics, a pesquisa mostra que "as pequenas empresas não gostam da guerra comercial" entre EUA e China. A consultoria diz que as companhias menores começam a sofrer com a escalada nas tensões no comércio e os temores de recessão e destaca o recuo nas intenções de investimento em bens de capital.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia