Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

tecnologia

Edição impressa de 23/08/2019. Alterada em 23/08 às 03h00min

Governo reunirá 1.594 portais em endereço único

O governo apresentou nesta quinta-feira, o projeto "Pátria Digital - Dia D da Transformação Digital", que marca a migração de 1.594 portais do governo federal para um único endereço - gov.br - até o final 2020, concentrando cerca de mil serviços aos cidadãos na mesma página quando o processo for concluído. A estimativa é de uma economia de R$ 6 bilhões por ano após a transformação dos serviços, sendo R$ 3 bilhões da parte do governo federal e R$ 3 bilhões da parte da sociedade.
O governo apresentou nesta quinta-feira, o projeto "Pátria Digital - Dia D da Transformação Digital", que marca a migração de 1.594 portais do governo federal para um único endereço - gov.br - até o final 2020, concentrando cerca de mil serviços aos cidadãos na mesma página quando o processo for concluído. A estimativa é de uma economia de R$ 6 bilhões por ano após a transformação dos serviços, sendo R$ 3 bilhões da parte do governo federal e R$ 3 bilhões da parte da sociedade.
O governo calcula que a migração de 315 serviços, feita neste ano, já traz economia de cerca de R$ 1 bilhão. A meta de 2019 é alterar a forma de acesso a 400 serviços. A migração de serviços do INSS foi usada como exemplo de êxito da operação do governo, pois 90 dos 96 serviços do órgão já foram digitalizados. O instituto ampliou de 18% para 80% o porcentual de pedidos de benefícios feitos por telefone ou internet de abril até agosto.
Ainda no INSS, o tempo de espera entre agendamento e atendimento dos beneficiados caiu de 70 para sete dias em dois anos, segundo o presidente do órgão, Renato Vieira.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia