Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 15 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

empresas

15/08/2019 - 11h36min. Alterada em 15/08 às 12h06min

Sem impacto de regra IFRS 16, lucro da Natura mais que dobra e salta a R$ 66,6 milhões

Desempenho da fabricante de produtos de beleza foi 75,8% superior ao do mesmo período de 2018

Desempenho da fabricante de produtos de beleza foi 75,8% superior ao do mesmo período de 2018


MATEUS BRUXEL/ARQUIVO/JC
Estadão Conteúdo
A Natura reportou um lucro líquido contábil, que inclui os efeitos da norma IFRS 16, de R$ 55,9 milhões no segundo trimestre deste ano, desempenho 75,8% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Excluindo os impactos da regra, o lucro foi de R$ 66,6 milhões, 109,4% superior ao reportado no segundo trimestre de 2018.
A Natura reportou um lucro líquido contábil, que inclui os efeitos da norma IFRS 16, de R$ 55,9 milhões no segundo trimestre deste ano, desempenho 75,8% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Excluindo os impactos da regra, o lucro foi de R$ 66,6 milhões, 109,4% superior ao reportado no segundo trimestre de 2018.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação), uma das linhas que recebeu mais impulso com a implementação do IFRS 16, atingiu R$ 557,5 milhões entre abril e junho, alta de 66,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Desconsiderando os efeitos do IFRS 16, o Ebitda foi de R$ 424,7 milhões, alta de 27%.
A receita líquida consolidada somou R$ 3,403 bilhões no segundo trimestre, alta de 9,8%. Em bases ajustadas, que exclui os efeitos não considerados como recorrentes ou não-comparáveis entre os períodos, a receita cresceu 7,7%.
Nos primeiros seis meses de 2019, o lucro líquido da Natura chegou a R$ 69,4 milhões, alta de 23,5% em relação ao primeiro semestre do ano passado. Sem IFRS 16, o montante subiu 92,2%, para R$ 108 milhões. Já o Ebitda saltou 54%, para R$ 1,006 bilhão. No critério sem IFRS 16, a linha subiu 16,6%, para R$ 761,6 milhões.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia