Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de agosto de 2019.
Dia do Economista .

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tributos

Edição impressa de 13/08/2019. Alterada em 13/08 às 03h00min

Governo manterá dedução no IR para pessoa física até teto de renda

O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou nesta segunda-feira (12) que o governo pretende estabelecer um teto de renda para que os brasileiros possam ter acesso à dedutibilidade de despesas médicas na declaração do Imposto de Renda para Pessoas Físicas (IRPF), na proposta de reforma tributária que está sendo elaborada pela equipe econômica.
O secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou nesta segunda-feira (12) que o governo pretende estabelecer um teto de renda para que os brasileiros possam ter acesso à dedutibilidade de despesas médicas na declaração do Imposto de Renda para Pessoas Físicas (IRPF), na proposta de reforma tributária que está sendo elaborada pela equipe econômica.
"O que nós pretendemos, no que diz respeito a deduções médicas no IR, é estabelecer um teto", disse o secretário. "Hoje existe um benefício excessivo a famílias de alta renda, que usa medicina particular e não usa o SUS. O grosso da população usa o SUS e não tem nenhuma dedução", afirmou. Segundo Cintra, será estabelecido um teto que não dê "excesso de privilégios e benefícios àqueles que não precisam".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia