Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Edição impressa de 08/08/2019. Alterada em 08/08 às 03h00min

'Agora, estamos no topo', diz Trump sobre disputa comercial com a China

Presidente dos EUA afirma que economia chinesa não está indo bem

Presidente dos EUA afirma que economia chinesa não está indo bem


/MANDEL NGAN/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira (7) que, agora, o seu país está "no topo" da disputa comercial com a China, agravada aceleradamente desde que ele anunciou que imporia, a partir de 1 de setembro, uma tarifa de 10% sobre US$ 300 bilhões em importações chinesas que ainda não foram alvo de cobranças punitivas.
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira (7) que, agora, o seu país está "no topo" da disputa comercial com a China, agravada aceleradamente desde que ele anunciou que imporia, a partir de 1 de setembro, uma tarifa de 10% sobre US$ 300 bilhões em importações chinesas que ainda não foram alvo de cobranças punitivas.
Apesar de todos os comunicados de Pequim rechaçando "firmemente" esta rotulagem pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, Trump alegou que o país asiático teria "admitido" ser um "manipulador cambial", e disse a repórteres na Casa Branca: "Vou te contar uma coisa: a China realmente quer fazer um acordo."
Como em diversas outras ocasiões, o presidente republicano comentou que a economia chinesa "não está indo bem" e que empresas estão "saindo de lá".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia