Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio exterior

Edição impressa de 07/08/2019. Alterada em 07/08 às 13h34min

Exportação de carne cresce 20,1% até julho

Vendas para a China cresceram 10,9% em volume, alcançando quase 175 mil toneladas

Vendas para a China cresceram 10,9% em volume, alcançando quase 175 mil toneladas


DIPOA SEAPDR/DIVULGAÇÃO/JC
As exportações brasileiras de carne bovina in natura nos sete primeiros meses de 2019 tiveram avanço de 20,1% em relação a igual período de 2018, chegando a 982 mil toneladas, afirmou a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), com base em dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. As receitas subiram 11,6% no acumulado de janeiro a julho deste ano em comparação com igual período de 2018, para US$ 3,73 bilhões.
As exportações brasileiras de carne bovina in natura nos sete primeiros meses de 2019 tiveram avanço de 20,1% em relação a igual período de 2018, chegando a 982 mil toneladas, afirmou a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), com base em dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. As receitas subiram 11,6% no acumulado de janeiro a julho deste ano em comparação com igual período de 2018, para US$ 3,73 bilhões.
No período, as vendas para a China cresceram 10,9% em volume, alcançando quase 175 mil toneladas.
No mês de julho, 155,65 mil toneladas foram embarcadas, e a receita foi de US$ 615,15 milhões. Foi o melhor mês do ano até aqui, representando alta de 15,9% em volume e 19,1% em receita na comparação com junho deste ano.
De acordo com a assessoria de comunicação da Abiec, não foi feita a comparação de julho de 2019 com julho de 2018 porque uma mudança feita na metodologia da estatística causaria distorção nos dados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia