Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Edição impressa de 07/08/2019. Alterada em 07/08 às 03h00min

Caixa venderá ações do BB sob custódia do FI-FGTS

O Banco do Brasil (BB) disse, nesta terça-feira (6), que foi informado pela Caixa Econômica Federal do plano do banco público de vender ações do BB que estão sob gestão do FI-FGTS (Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).
O Banco do Brasil (BB) disse, nesta terça-feira (6), que foi informado pela Caixa Econômica Federal do plano do banco público de vender ações do BB que estão sob gestão do FI-FGTS (Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).
Segundo o comunicado divulgado pelo Banco do Brasil, a Caixa ainda não definiu o modelo de venda das ações, que poderá ser por oferta pública na bolsa. Nos últimos meses, a Caixa vendeu as ações que detinha da Petrobras por oferta secundária de ações, e a Petrobras privatizou a BR Distribuidora também pela venda de papéis da companhia no mercado acionário.
Esse tem sido um dos instrumentos do governo de Jair Bolsonaro (PSL) de diminuir as participações de estatais em outras empresas não ligadas ao negócio principal da companhia.
No caso da venda das ações do BB pelo FI-FGTS, o objetivo seria para levantar recursos imobilizados em ações do banco público para financiamento de projetos de infraestrutura.
Após o evento público da venda de ações da Caixa na Petrobras, Pedro Guimarães reafirmou que tinha uma lista de 15 empresas para desinvestir. Faltava, ainda, porém, o aval do conselho do FI-FGTS para as vendas de participações.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia