Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de agosto de 2019.
Dia Nacional da Saúde/ Farmácia .

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

balanços

Alterada em 05/08 às 19h05min

Lucro líquido do IRB Brasil Re soma R$ 388,4 mi, aumento de 35% em um ano

Estadão Conteúdo
O ressegurador IRB Brasil Re anunciou lucro líquido de R$ 388,4 milhões no segundo trimestre deste ano, 35% maior que o registrado em igual intervalo de 2018, de R$ 287,3 milhões. Na primeira metade do ano, o resultado atingiu R$ 738,9 milhões, incremento de 37% em relação aos seis primeiros meses do exercício passado.
O ressegurador IRB Brasil Re anunciou lucro líquido de R$ 388,4 milhões no segundo trimestre deste ano, 35% maior que o registrado em igual intervalo de 2018, de R$ 287,3 milhões. Na primeira metade do ano, o resultado atingiu R$ 738,9 milhões, incremento de 37% em relação aos seis primeiros meses do exercício passado.
O volume de prêmio de resseguro do IRB alcançou R$ 2,355 bilhões de abril a junho, cifra 22% superior à vista um ano antes. No semestre, totalizou R$ 4,119 bilhões, expansão de 24%, na mesma base de comparação.
Ao atingir o ponto alto da sua projeção de desempenho para 2019, o ressegurador revisou para cima seu guidance. Ao retomar as estimativas passada a segunda oferta de ações subsequente (follow on) deste ano, o IRB espera que seus prêmios de resseguros cresçam de 20% a 27% frente a 2018.
O IRB destaca em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras que após a oferta de ações, que permitiu a saída da União e do Banco do Brasil do controle do ressegurador, a companhia passou a ter um novo perfil societário, com controle pulverizado. "O controle difuso levará ao aperfeiçoamento de nossa governança, com aumento de eficiência e agilidade de decisão e aprovação de medidas", avalia o ressegurador, no documento.
O índice de sinistralidade total do IRB foi de 53% no segundo trimestre, melhora de 4 pontos porcentuais em um ano. No semestre, ficou estável em 54%.
Já o índice combinado, que mede a eficiência operacional da companhia, foi a 81% ao fim de junho ante 84% um ano antes. No conceito ampliado, utilizado pela companhia para a definição do guidance, ficou estável em 71% no segundo trimestre e melhorou 2 pontos porcentuais (p.p.) na primeira metade de 2019 ante mesmo período de 2018, para 70%.
O IRB apresentava patrimônio líquido de R$ 3,982 bilhões ao fim de junho, leve queda de 0,46% ante dezembro. Seu retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE, na sigla em inglês) foi de 39% no segundo trimestre, melhora de 6 p.p. em um ano. No semestre, foi de 38%, aumento de 8 p.p., na mesma base de comparação.
Os ativos totais do ressegurador eram da ordem de R$ 9,843 bilhões no segundo trimestre, redução de 6,57% em relação à cifra apresentada ao fim de 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia