Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de agosto de 2019.
Dia Nacional da Saúde/ Farmácia .

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Edição impressa de 05/08/2019. Alterada em 04/08 às 19h53min

CMPC aposta em inovação para setor florestal

Companhia mantém laboratórios para melhoramento genético

Companhia mantém laboratórios para melhoramento genético


/CMPC/DIVULGAÇÃO/JC
Roberta Mello, de Santiago, Chile
Seja através do melhoramento genético de cada muda de árvore plantada ou do modelo logístico para o escoamento da produção, o grupo chileno CMPC vem apostando fortemente na utilização de novas tecnologias e soluções de infraestrutura. O objetivo é garantir ganhos em produtividade e eficiência nos processos, além de tornar a atividade mais segura e sustentável.
Seja através do melhoramento genético de cada muda de árvore plantada ou do modelo logístico para o escoamento da produção, o grupo chileno CMPC vem apostando fortemente na utilização de novas tecnologias e soluções de infraestrutura. O objetivo é garantir ganhos em produtividade e eficiência nos processos, além de tornar a atividade mais segura e sustentável.
A produção no Brasil já é altamente mecanizada, superando inclusive a chilena em muitos aspectos. O transporte hidroviário feito através de barcaça da produção de celulose da planta de Guaíba até o porto do Rio Grande é considerado símbolo de como o uso de soluções inovadoras pode trazer benefícios. A CMPC utiliza a barcaça também para transportar madeira do porto de Pelotas até a cidade de Guaíba.
Notícias sobre economia são importantes para você?
Conforme a companhia, por meio de investimentos em transporte hidroviário, nos últimos anos, estão sendo retirados diariamente das rodovias mais de 280 caminhões, já que a viagem de uma barcaça de madeira equivale à redução de 80 caminhões, e uma de celulose, à diminuição da circulação de 200 caminhões nas estradas. A redução é de cerca de 74 mil viagens de caminhões por ano.
Mesmo assim, a empresa segue investindo fortemente em infraestrutura. Para este ano, a CMPC confirma a expectativa de investimento em bens de capital (Capex) de R$ 170 milhões apenas no Rio Grande do Sul. O valor está destinado à realização de melhorias de processo e de gestão, assinala o diretor-geral da operação no Brasil, Mauricio Harger.
Em torno de R$ 50 milhões já têm endereço certo. Esse valor está empenhado em uma obra de ampliação dos instrumentos de controle ambiental da empresa no Estado, que compreende a implantação de um sistema de drenagem automatizado. A obra custará R$ 100 milhões e é realizada ao longo de 2019 e 2020, devendo ser entregue no início de 2021.
Além disso, a companhia mantém laboratórios completos para melhoramento genético e controle de pragas, e parques industriais altamente robotizados. "Nos laboratórios, as amostras são analisadas e são avaliadas as características da terra, a condição climática para que seja plantado o 'clone' perfeito para aquele local", explica Harger, salientando que a CMPC é a oitava sócio da empresa de Guaíba e, por isso, mantém um vasto banco de dados das terras.
Atualmente, a companhia conta com 912 diferentes terrenos e está presente em 62 cidades gaúchas. Ao todo, são 325,420 mil hectares, sendo 170 mil voltados ao plantio de eucaliptos e o restante destinado à área de preservação permanente e para a reserva legal.
O plano de expansão das terras em produção no Brasil não é o foco no momento, conforme os dirigentes da organização. Porém a direção da companhia no Chile admite que o Brasil segue sendo um importante espaço de negócios e deve ser o alvo de investimentos futuros.
A reportagem fez parte de um grupo de jornalistas brasileiros que esteve no País andino a convite da empresa para visitar plantas produtivas, a sede da empresa na capital chilena, Santiago, e o novo edifício corporativo localizado em Los Angeles. Construído em madeira de plantações da empresa, o prédio foi inaugurado em março deste ano e conta com 203 metros de comprimento e 16 metros de largura, e busca promover esse tipo de construção na América Latina.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia