Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Logística

Alterada em 31/07 às 14h02min

Norte-Sul interligará País e governo renovará Malha Paulista, diz ministro

Freitas afirmou quer que trens possam fazer os trechos de longa distância no Brasil

Freitas afirmou quer que trens possam fazer os trechos de longa distância no Brasil


EVARISTO SA/AFP/JC
Estadão Conteúdo
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas afirmou nesta quarta-feira (31), que o governo quer mudar a matriz do transporte brasileiro para que os trens possam fazer os trechos de longa distância. O ministro participou pela manhã da cerimônia de assinatura da concessão dos ramos central e sul da Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis, Goiás.
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas afirmou nesta quarta-feira (31), que o governo quer mudar a matriz do transporte brasileiro para que os trens possam fazer os trechos de longa distância. O ministro participou pela manhã da cerimônia de assinatura da concessão dos ramos central e sul da Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis, Goiás.
Ele disse que a ferrovia é a "espinha dorsal" que vai interligar o País e que será importante para escoar a produção da região central do País. "Vamos fazer um choque de oferta e o frete ficará mais barato", comentou.
Freitas também afirmou que, em breve, o governo irá renovar a concessão da Malha Paulista, o que poderá gerar investimentos de R$ 7 bilhões.
O ministro participou da cerimônia ao lado do presidente da República, Jair Bolsonaro, juntamente com o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mário Rodrigues Júnior.
A empresa Rumo Logística, maior operadora logística com base ferroviária independente do Brasil, fará a operação dos trechos. Ela venceu a disputa do trecho que vai de Porto Nacional (TO) até Estrela D'Oeste (SP) em leilão que foi realizado em 28 de março pela ANTT. A empresa ofereceu R$ 2,7 bilhões pela concessão e operará cerca de 1,5 mil km por 30 anos.
O presidente dos conselhos de administração da Cosan e da Rumo, Rubens Ometto, afirmou que a concessão ajudará na expansão da fronteira agrícola do País. Ele disse ainda que a ferrovia agradará também aos caminhoneiros, que poderão operar nas pontas da ferrovia. "Eles poderão dormir em casa todos os dias", disse.
O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), afirmou que a Ferrovia Norte-Sul tem um "fator multiplicador imensurável". "Teremos a maior linha férrea capaz de democratizar a comercialização dos nossos produtos, não vamos mais ficar estrangulados", disse.
O trecho central vai de Porto Nacional a Anápolis, com extensão de 855 km, e o sul vai de Ouro Verde de Goiás (GO) e Estrela D'Oeste, com extensão de 682 km. O tramo central está pronto e disponível para a operação do transporte comercial de cargas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia