Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 30 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Telecomunicações

Alterada em 30/07 às 13h50min

Huawei tem alta na margem de lucro e na receita no 1º semestre

Empresa de tecnologia informou que sua receita subiu a 401,3 bilhões de yuans (US$ 58,3 bilhões)

Empresa de tecnologia informou que sua receita subiu a 401,3 bilhões de yuans (US$ 58,3 bilhões)


FRED DUFOUR/AFP/JC
Estadão Conteúdo
A Huawei Technologies informou que sua receita avançou 23,2% no primeiro semestre, na comparação com igual período do ano passado. A gigante do setor de tecnologia parece ter superado o impacto de que os Estados Unidos a tenham colocado em sua lista proibida para fornecedores americanos. Ela informou que sua receita subiu a 401,3 bilhões de yuans (US$ 58,3 bilhões), com a margem de lucro em alta de 8,7% na mesma comparação.
A Huawei Technologies informou que sua receita avançou 23,2% no primeiro semestre, na comparação com igual período do ano passado. A gigante do setor de tecnologia parece ter superado o impacto de que os Estados Unidos a tenham colocado em sua lista proibida para fornecedores americanos. Ela informou que sua receita subiu a 401,3 bilhões de yuans (US$ 58,3 bilhões), com a margem de lucro em alta de 8,7% na mesma comparação.
A companhia seleciona os números que torna públicos, sem divulgar os resultados completos. O balanço trouxe o primeiro vislumbre da saúde financeira da Huawei após ela ser acrescentada na lista de entidades do Departamento do Comércio dos EUA. A lista requer que fornecedoras peçam licenças para continuar a entregar tecnologia americana à Huawei, o que restringe o acesso desta a componentes e softwares usados em seus populares equipamentos de smartphones.
"Nem a produção nem os embarques têm sido interrompidos, nem por um único dia", garantiu o executivo-chefe da Huawei, Howard Liang, em entrevista coletiva em Shenzhen. "Nós continuamos a ver crescimento mesmo após sermos acrescentados à lista de entidades", afirmou o executivo. "Isso não quer dizer que não tenhamos dificuldades à frente. Nós temos e isso pode afetar o ritmo de nosso crescimento no curto prazo", complementou. Fonte: Dow Jones Newswires.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia