Porto Alegre, terça-feira, 28 de julho de 2020.
Dia do Agricultor .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 28 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 08h14min, 04/07/2019. Atualizada em 08h14min, 04/07/2019.

Bolsas da Ásia fecham mistas em meio a expectativas de corte de juros nos EUA

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira (4), após dados fracos do mercado de trabalho dos EUA reforçarem expectativas ontem de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) poderá cortar juros já na reunião de julho.
As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quinta-feira (4), após dados fracos do mercado de trabalho dos EUA reforçarem expectativas ontem de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) poderá cortar juros já na reunião de julho.
Em Tóquio, o índice japonês Nikkei teve modesta alta de 0,30% hoje, a 21.702,45 pontos, impulsionado por ações dos setores de telecomunicações e eletrônicos.
Na capital sul-coreana, Seul, o Kospi subiu 0,61%, a 2.108,73 pontos, com o bom desempenho de papéis de tecnologia interrompendo uma sequência de quatro pregões negativos.
O dia também foi de valorização em Taiwan, com avanço de 0,30% do Taiex, a 10.775,90 pontos.
Na China, por outro lado, o índice Xangai Composto caiu 0,33%, a 3.005,25 pontos, enquanto o menos líquido Shenzhen Composto recuou 0,55%, a 1.591,24 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng ficou igualmente no vermelho, com perda de 0,21%, a 28.795,77 pontos.
Números divulgados ontem mostraram que o setor privado dos EUA criou menos empregos do que se previa em junho, fortalecendo apostas de que o Fed poderá anunciar um corte de juros ainda neste mês. A percepção de relaxamento monetário iminente ajudou a impulsionar as bolsas de Nova York a níveis recordes nos negócios da quarta-feira.
Os mercados americanos não operam nesta quinta devido ao feriado do Dia da Independência nos EUA, fator que contribuiu para reduzir a liquidez nos pregões asiáticos.
Investidores também continuam atentos a desdobramentos da disputa comercial entre EUA e China. Segundo a Bloomberg, o diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, disse ontem que autoridades dos dois países farão um contato telefônico na próxima semana e marcarão reuniões "cara a cara" em breve para retomar as negociações comerciais bilaterais, que estão suspensas desde o início de maio.
Na Oceania, a bolsa da Austrália ficou no azul pela quarta sessão consecutiva, favorecida por uma recuperação de ações de grandes bancos domésticos. O S&P/ASX 200 avançou 0,49% em Sydney, a 6.718,00 pontos, atingindo o maior patamar em 11 anos e meio. 
Comentários CORRIGIR TEXTO