Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

03/07/2019 - 08h43min. Alterada em 03/07 às 08h43min

Operação da PF mira fraude contra a Previdência Social no Estado

Uma quadrilha responsável por cometer fraudes contra a Previdência Social foi alvo de operação da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (3), em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre. De acordo com a investigação, a suspeita é que o grupo tenha causado prejuízo de R$ 200 mil ao INSS e a particulares, somente este ano.
Uma quadrilha responsável por cometer fraudes contra a Previdência Social foi alvo de operação da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (3), em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre. De acordo com a investigação, a suspeita é que o grupo tenha causado prejuízo de R$ 200 mil ao INSS e a particulares, somente este ano.
A ação, batizada Operação Mágico de O.S.S, cumpriu cinco mandados de busca e apreensão no município para coletar documentos relacionados à fraude.
Segundo informou a PF, a investigação teve início ainda em maio deste ano, com a prisão de dois envolvidos na fraude, em Uruguaiana. O grupo lesava o INSS e seus beneficiários mediante a falsificação de documentos de segurados, providenciando a migração do benefício para outra agência da Previdência Social. Os dados de pagamento eram alterados para outra conta corrente e o benefício era sacado.
Os crimes investigados são falsificação de documento, estelionato previdenciário e organização criminosa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia