Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de julho de 2019.
Dia do Bombeiro Brasileiro.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

02/07/2019 - 08h06min. Alterada em 02/07 às 08h06min

De olho em EUA-China, bolsas asiáticas fecham mistas e perto da estabilidade

Estadão Conteúdo
As bolsas asiáticas fecharam sem direção única e perto da estabilidade nesta terça-feira (2), em meio a dúvidas sobre a capacidade de Estados Unidos e China de fecharem um acordo comercial. Já na Oceania, o mercado da Austrália subiu marginalmente, após o banco central local anunciar um novo corte de juros.
As bolsas asiáticas fecharam sem direção única e perto da estabilidade nesta terça-feira (2), em meio a dúvidas sobre a capacidade de Estados Unidos e China de fecharem um acordo comercial. Já na Oceania, o mercado da Austrália subiu marginalmente, após o banco central local anunciar um novo corte de juros.
Ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que as negociações comerciais com a China "já começaram", depois de ficarem paralisadas desde maio. No fim de semana, Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, selaram uma trégua para que seus países suspendam a adoção de novas tarifas a produtos um do outro, durante encontro às margens da reunião de cúpula do G20 em Osaka, no Japão.
Trump, porém, também ressaltou ontem que um eventual pacto comercial com a China precisará ser "até certo ponto inclinado" a favor dos EUA.
Entre os mercados chineses, o índice Xangai Composto teve ligeira baixa de 0,03% hoje, a 3.043,94 pontos, enquanto o menos líquido Shenzhen Composto apresentou modesto ganho de 0,16%, a 1.619,12 pontos.
Em discurso mais cedo, o premiê chinês, Li Keqiang, disse que Pequim irá eliminar limites à participação de capital estrangeiro no setor financeiro em 2020, um ano antes do programado anteriormente, numa tentativa de atrair mais negócios e investimentos à medida que persistem as desavenças comerciais com os EUA.
Em Tóquio, o Nikkei mostrou leve avanço de 0,11% nesta terça, a 21.754,27 pontos, graças ao bom desempenho de ações do setor de eletrônicos.
Em outras partes da Ásia, o Hang Seng voltou de um feriado subindo 1,17% em Hong Kong, a 28.875,56 pontos, numa reação atrasada à trégua comercial anunciada por Trump e Xi no G20, mas o sul-coreano Kospi caiu 0,36% em Seul, a 2.122,02 pontos, em seu terceiro pregão negativo seguido, e o Taiex recuou 0,28% em Taiwan, a 10.865,12 pontos.
Principal índice acionário da Oceania, o australiano S&P/ASX 200 se valorizou apenas 0,08% em Sydney, a 6.653,20 pontos, apesar de o Banco Central da Austrália (RBA, pela sigla em inglês) ter cortado hoje seu juro básico pela segunda vez consecutiva, reduzindo a taxa em 0,25 ponto porcentual, à mínima histórica de 1%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia