Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 01 de julho de 2019.
Dia Mundial da Arquitetura.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

01/07/2019 - 20h22min. Alterada em 01/07 às 20h28min

EUA propõem tarifas adicionais a US$ 4 bilhões em produtos da UE

Tarifas adicionais a produtos da UE são resposta a prejuízos causados por subsídios do bloco a Airbus

Tarifas adicionais a produtos da UE são resposta a prejuízos causados por subsídios do bloco a Airbus


ERIC PIERMONT/AFP/JC
Estadão Conteúdo
O Escritório do Representante Comercial dos Estados Unidos (USTR, na sigla em inglês) propôs tarifas adicionais a produtos da União Europeia em resposta a prejuízos causados por subsídios do bloco a aeronaves da Airbus. "Hoje, o USTR está emitindo para comentários públicos uma lista adicional de produtos que poderiam estar sujeitos a tarifas a fim de valer os direitos dos EUA na disputa da Organização Mundial do Comércio (OMC) contra a União Europeia (UE)", afirmou o órgão.
O Escritório do Representante Comercial dos Estados Unidos (USTR, na sigla em inglês) propôs tarifas adicionais a produtos da União Europeia em resposta a prejuízos causados por subsídios do bloco a aeronaves da Airbus. "Hoje, o USTR está emitindo para comentários públicos uma lista adicional de produtos que poderiam estar sujeitos a tarifas a fim de valer os direitos dos EUA na disputa da Organização Mundial do Comércio (OMC) contra a União Europeia (UE)", afirmou o órgão.
A lista acrescenta 89 produtos com um valor de comércio aproximado de US$ 4 bilhões à lista inicial publicada em 12 de abril, que incluía produtos cujo valor comercial aproximado era de US$ 21 bilhões. De acordo com o USTR, caso a decisão final da OMC sobre o caso seja emitida antes da conclusão do processo de comentários públicos, em 5 de agosto, "poderemos impor imediatamente aumentar taxas sobre produtos incluídos na lista inicial e adotar outras ações possíveis com relação a produtos da lista suplementar".
Os EUA entraram na OMC contra subsídios à Airbus em 2004. Em 2011, a organização concluiu que a UE havia destinado US$ 18 bilhões em subsídios à companhia entre 1968 e 2006. Depois disso, o bloco retirou dois subsídios menores, mas manteve a maioria deles inalterada, informaram os EUA. Em maio de 2018, a OMC concluiu que os subsídios da UE prejudicaram interessas da americana Boeing. O bloco europeu contestou a estimativa das tarifas autorizadas e, agora, a OMC realiza uma arbitragem sobre o tema.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia