Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de julho de 2019.
Dia do Bombeiro Brasileiro.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Edição impressa de 02/07/2019. Alterada em 02/07 às 03h00min

Ação da Neoenergia ganha 8,37% em primeiro pregão após IPO

A abertura de capital da Neoenergia, que marca a saída do Banco do Brasil (BB) do negócio após 22 anos, movimentou em torno de R$ 3,5 bilhões na bolsa. Os papéis começaram a ser negociados ontem na B3 com alta expressiva de 8,37%, fechando o pregão cotados a R$ 16,96. No fechamento da oferta, na última sexta-feira, cada ação foi fixada em R$ 15,65.

Desde a posse da equipe econômica de Jair Bolsonaro (PSL), estatais têm anunciado planos de redução de participação em empresas que não estão ligadas ao seu negócio principal. É o caso da Neonergia para o BB. Na semana passada, a Caixa concluiu a venda de ações que detinha na Petrobras e arrecadou cerca de R$ 7 bilhões, que devem ser devolvidos ao Tesouro Nacional.

O IPO (oferta pública inicial de ações, na sigla em inglês) também permitiu a redução de participação da Previ na companhia de energia espanhola, que ficou com aproximadamente R$ 1 bilhão. O fundo de pensão dos funcionários do BB terá, agora, 32,9% da companhia, ante os 32,8% de antes do IPO.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia