Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de junho de 2019.
Dia do Cinema Brasileiro.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR| CORRIGIR

mercado financeiro

19/06/2019 - 08h02min. Alterada em 19/06 às 08h02min

Bolsas asiáticas fecham em alta com melhor perspectiva para comércio EUA-China

Estadão Conteúdo
As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta quarta-feira (19), após desdobramentos positivos relacionados à disputa comercial entre Estados Unidos e China. Há expectativas também de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) siga hoje o caminho do Banco Central Europeu (BCE) no sentido de abrir as portas para futuros cortes de juros.
As bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada nesta quarta-feira (19), após desdobramentos positivos relacionados à disputa comercial entre Estados Unidos e China. Há expectativas também de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) siga hoje o caminho do Banco Central Europeu (BCE) no sentido de abrir as portas para futuros cortes de juros.
Entre os mercados chineses, o índice Xangai Composto subiu 0,96%, a 2.917,80 pontos, e o menos líquido Shenzhen Composto terminou o dia com valorização de 1,48%, a 1.526,77 pontos.
O presidente dos EUA, Donald Trump, revelou no Twitter nessa terça-feira (18) que "teve uma conversa telefônica muito boa" com o presidente chinês, Xi Jinping, e que ambos terão uma "reunião estendida" na próxima semana às margens da cúpula de líderes do G20 a ser realizada em Osaka, no Japão, reavivando esperanças de que as duas maiores economias do mundo consigam fechar um acordo comercial.
Antes de encontrar Xi, segundo Trump, autoridades dos dois países irão retomar as discussões comerciais que estão congeladas desde o mês passado. Os comentários do presidente americano ajudaram as bolsas de Nova Iorque a fechar essa terça com robustos ganhos, que variaram de cerca de 1% a 1,4%.
Investidores na Ásia - e em outras partes do mundo - também aguardam a decisão de política monetária do Fed, que será anunciada às 15h (de Brasília). A previsão é de que o Fed mantenha seus juros básicos nos níveis atuais, mas sinalize a possibilidade de cortes nos próximos meses, em parte por causa das incertezas no diálogo comercial sino-americano.
Se as apostas se confirmarem, o Fed seguirá a trajetória do presidente do BCE, Mario Draghi, que ontem sugeriu que a instituição poderá voltar a cortar juros e comprar ativos se não houver melhora na perspectiva econômica da zona do euro.
Em Tóquio, o Nikkei avançou 1,72% nesta quarta-feira, a 21.333,87 pontos, também na expectativa para o anúncio de política monetária do Banco do Japão (BoJ), prevista para a madrugada desta quinta-feira (20).
Em outras partes da região asiática, o Hang Seng saltou 2,56% em Hong Kong, a 28.202,14 pontos - com destaque para a gigante de tecnologia Tencent e a seguradora AIA (que tiveram ganhos em torno de 4%) -, enquanto o sul-coreano Kospi subiu 1,24% em Seul, a 2.124,78 pontos, e o Taiex registrou alta de 1,97% - a maior desde janeiro -, terminando a sessão a 10.775,34 pontos.
Na Oceania, a bolsa australiana renovou máxima em 11 anos e meio, impulsionada por ações de petrolíferas e de mineradoras. O índice S&P/ASX 200 avançou 1,19% em Sydney, a 6.648,10 pontos. 
COMENTAR| CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia