Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de junho de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR| CORRIGIR

mercado financeiro

18/06/2019 - 19h06min. Alterada em 18/06 às 19h06min

Bolsas de Nova Iorque sobem com Draghi e confirmação de reunião entre Trump e Xi

Nasdaq avançou 1,39%

Nasdaq avançou 1,39%


TIMOTHY A. CLARY / AFP/JC
Estadão Conteúdo
Os principais índices acionários nova-iorquinos fecharam em alta nesta terça-feira (18), dia em que o noticiário promoveu uma renovação do apetite a risco. O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sinalizou estímulos à economia da zona do euro, através de possíveis cortes nas taxas de juros. Ajudou a manter a tendência de alta das bolsas a confirmação de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, irá se reunir com o presidente chinês, Xi Jinping, no G20, no fim deste mês, o que pode deixar as duas nações mais próximas de um acordo comercial.
Os principais índices acionários nova-iorquinos fecharam em alta nesta terça-feira (18), dia em que o noticiário promoveu uma renovação do apetite a risco. O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sinalizou estímulos à economia da zona do euro, através de possíveis cortes nas taxas de juros. Ajudou a manter a tendência de alta das bolsas a confirmação de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, irá se reunir com o presidente chinês, Xi Jinping, no G20, no fim deste mês, o que pode deixar as duas nações mais próximas de um acordo comercial.
O índice Dow Jones fechou em alta de 1,35%, aos 26.465,54 pontos. Já o S&P 500 avançou 0,97%, para 2.917,75 pontos e o Nasdaq, 1,39%, para 7.53,88 pontos.
O pregão foi marcado por otimismo, após Mario Draghi sinalizar políticas monetárias ainda mais acomodatícias para o futuro da economia da zona do euro. Na opinião do JPMorgan, a postura do presidente do BCE é, de certa forma, uma resposta às recentes sinalizações do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), "que exploraram ideias semelhantes". Apesar disso, a instituição financeira frisou que não está claro, ainda, se as opiniões de Draghi são compartilhadas por outros membros do BCE.
Para além do velho continente, investidores seguem de olho na política monetária americana, já que a próxima reunião do Fed acontece nesta quarta-feira, 19. Apesar de não ser esperado um corte na taxa de juros já nesta semana, é possível que a autoridade monetária dê mais sinais de postura "dovish".
Ainda nos EUA, o presidente americano afirmou, via Twitter, que conversou com Xi por telefone e que ambos terão uma reunião prolongada, no próximo encontro do G20, que acontece no Japão, nos dias 28 e 29 de junho. A notícia afasta temores de novas tarifas americanas à China, já que o republicano ameaçou fazê-lo se o líder asiático recusasse encontrá-lo. Em Nova Iorque, o subíndice industrial do S&P 500 subiu 1,89%, com os papéis da Boeing se fortalecendo em 5,37%. A alta veio após a British Airways divulgar que comprará duzentas aeronaves do modelo 737 Max.
Já o Facebook, que abriu em alta ainda repercutindo a notícia da criação de uma moeda digital da rede social, terminou em queda de 0,29%, em uma possível realização de ganhos após pregões de alta recentes.
COMENTAR| CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia