Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de junho de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR| CORRIGIR

mercado financeiro

18/06/2019 - 18h50min. Alterada em 18/06 às 18h50min

Euro é pressionado por sinais do BCE e dólar se fortalece

Euro recuou a US$ 1,1202

Euro recuou a US$ 1,1202


FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Estadão Conteúdo
O euro esteve em foco nesta terça-feira (18), e atingiu mínimas no dia após o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sinalizar que pode haver mais cortes de juros mais adiante na região da moeda comum. Nesse quadro, o dólar se fortaleceu ante uma cesta de outras moedas principais, embora sem muito impulso.
O euro esteve em foco nesta terça-feira (18), e atingiu mínimas no dia após o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sinalizar que pode haver mais cortes de juros mais adiante na região da moeda comum. Nesse quadro, o dólar se fortaleceu ante uma cesta de outras moedas principais, embora sem muito impulso.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar caía a 108,42 ienes, o euro recuava a US$ 1,1202 e a libra tinha alta a US$ 1,2565.
Draghi disse que mais cortes de juros continuam a fazer parte das ferramentas do BCE. Durante evento em Sintra, Portugal, o presidente da instituição previu que estímulos adicionais serão necessários, se a perspectiva econômica não melhorar.
As declarações de Draghi levaram o euro às mínimas do dia. Mais tarde, o movimento foi um pouco contido, depois de declarações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O líder americano afirmou no Twitter que a bolsa de Frankfurt subia muito por causa das declarações de Draghi sobre o estímulo à economia. Trump argumenta que as autoridades europeias mantêm o euro fraco para conseguir uma vantagem injusta no comércio.
Na Europa, a libra avançou em dia de nova votação do Partido Conservador sobre a sucessão da premiê Theresa May, do Reino Unido. O novo voto dos deputados mostrou novamente o ex-prefeito de Londres Boris Johnson como favorito na disputa, o que faria dele também o próximo primeiro-ministro.
COMENTAR| CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia