Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de junho de 2019.
Dia dos Namorados.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Empresas

12/06/2019 - 16h33min. Alterada em 12/06 às 16h33min

Centauro aumenta oferta pela Netshoes para cerca de US$ 115 milhões

Estadão Conteúdo
O grupo SBF, dono da Centauro, apresentou na noite da terça-feira (11), um aditamento a sua proposta para aquisição da Netshoes. A companhia aumentou o valor de sua oferta de US$ 3,50/ação para US$ 3,70/ação da varejista, uma operação que somaria aproximadamente US$ 114,9 milhões.
Além disso, a empresa detalha novas medidas de apoio para que a Netshoes possa suportar a pressão sobre seu fluxo de caixa operacional até que a transação se consume.
A nova oferta da Centauro pela Netshoes é 23,3% superior à do Magazine Luiza (US$ 3,00/ação).
Embora o último preço oferecido pela Centauro já fosse superior ao da concorrente, o Conselho de Administração da Netshoes decidiu, na semana passada, convocar uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para a sexta-feira, 14, para aprovar a oferta de fusão com o Magazine Luiza.
Além disso, o Conselho da Netshoes também reafirmou a recomendação de que os acionistas aprovem o negócio na reunião desta semana. A avaliação é de que a oferta da Centauro não endereçava adequadamente as preocupações de liquidez de curto prazo da empresa e que, embora o preço oferecido fosse superior, o valor seria insuficiente para compensar os riscos de um cronograma potencialmente mais longo para que o negócio se concretizasse, já que ainda precisaria ter o aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).
Diante dessa justificativa, na nova oferta, a Centauro se dispôs a emprestar até R$ 120 milhões à Netshoes, para reforço de capital de giro da empresa. A liberação do valor principal seria realizada em até três tranches, sendo que a primeira, no valor de R$ 70 milhões, seria liberada até dois dias úteis depois de assinado o contrato de fusão entre as empresas.
As outras duas tranches, ambas de R$ 25 milhões, seriam liberada nos dias 30 de agosto e 31 de outubro de 2019, diz o documento. Esse valor de R$ 120 milhões seria corrigido por 100% do CDI, acrescido de juros remuneratórios à taxa de 4% ao ano, pro rata temporis. A Netshoes teria 180 dias após a assinatura do contrato para quitar o empréstimo.
Além disso, a Centauro se dispôs a contratar um financiamento adicional com o Banco Votoratim S.A., "em condições substancialmente semelhantes ao financiamento assegurado pelo Banco Bradesco S.A. e Banco Itaú S.A. à companhia em 23 de maio de 2019 ('Funding Adicional')", elevando de R$ 325.000.000,00 para R$ 375.000.000,00 os recursos a serem tomados por empréstimo para subsidiar a consumação da fusão.
Com o objetivo de "oxigenar" o estoque da Netshoes, a Centauro propôs novamente a celebração de um contrato de marketplace, com vigência de um ano, por meio do qual ela disponibilizaria integralmente seu estoque para venda no website da Netshoes. Esse contrato incrementaria o volume de estoque da Netshoes em aproximadamente R$ 300 milhões, afirma a Centauro.
O documento diz ainda que a transação com a Centauro estará condicionada "apenas à inexistência de lei ou decisão de autoridade governamental que proíba a consumação da mesma, tais como o Cade".
CORRIGIR