Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de junho de 2019.
Dia dos Namorados.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Desenvolvimento

Edição impressa de 12/06/2019. Alterada em 12/06 às 03h00min

Governador gaúcho é empossado no Codesul

Eduardo Leite terá a função de articular negociações entre os demais três estados participantes

Eduardo Leite terá a função de articular negociações entre os demais três estados participantes


/GUSTAVO MANSUR/PALÁCIO PIRATINI/JC

Eduardo Leite assumiu, ontem, em Brasília, a presidência do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul) pelo período de um ano. O cargo é revezado pelos governadores dos quatro Estados integrantes: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul.

Ao receber o cargo do governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, Leite disse que é uma honra, já no seu primeiro ano de mandato, assumir a missão de defender os interesses do Rio Grande do Sul e dos demais estados. No mesmo encontro, os demais chefes de Executivo, Ratinho Júnior (PR), Carlos Moisés (SC) e Azambuja, assumiram como vice-presidentes. Vicente Bogo segue representando o Estado como secretário-executivo do Codesul.

"Quero agradecer a confiança, porque, apesar de ser um rodízio, e não exatamente uma eleição, é importante ter a confiança dos meus colegas para liderar os interesses da nossa região. Contem comigo na liderança desse processo", afirmou Leite.

Como presidente do Codesul, o governador gaúcho terá a função de articular negociações entre os Estados, considerando os temas que, por consenso, interessam a todos em áreas como saúde, ambiente, agricultura, turismo e vigilância sanitária, bem como questões vinculadas à Lei Kandir e reformas propostas pela União. "A minha responsabilidade será ajudar na articulação das políticas de interesse dos quatro Estados. Uma delas, como a que surgiu hoje, é viabilizar o acesso do Codesul aos fundos constitucionais", acrescentou.

Cabe, ainda, ao conselho, discutir políticas públicas para a fronteira e as negociações de integração com as províncias vizinhas aos Estados-membro - da Argentina, do Paraguai e da Bolívia. A próxima reunião do Codesul está marcada para agosto, durante a Expointer 2019, em Esteio.

CORRIGIR