Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de junho de 2019.
Dia da Marinha Brasileira.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

mercado financeiro

11/06/2019 - 19h23min. Alterada em 11/06 às 19h29min

Bolsas de Nova Iorque fecham estáveis, pressionadas pelo setor industrial

O índice Dow Jones encerrou em baixa de 0,05%

O índice Dow Jones encerrou em baixa de 0,05%


TIMOTHY A. CLARY / AFP/JC
Estadão Conteúdo
Os principais indicadores acionários de Nova Iorque fecharam em estabilidade nesta terça-feira (11), pressionados por papéis do setor industrial, após um dia de abertura em alta, em um aparente movimento de realização de lucros após uma sequência de pregões de ganhos expressivos.
O índice Dow Jones encerrou em baixa de 0,05%, aos 26.048,51 pontos, enquanto o S&P 500 recuou 0,03%, aos 2.885,72 pontos, e o Nasdaq caiu 0,01%, aos 7.822,57 pontos, após tocar, momentaneamente, o nível de resistência exercido pela média móvel de 50 dias.
O mercado de ações nova-iorquino iniciou o dia no campo positivo, fortalecido com o apetite a risco renovado, após o anúncio de grandes linhas de financiamento em infraestrutura na China. No entanto, ao longo do dia, os indicadores perderam o fôlego demonstrado na abertura diante da falta de vigor de papéis industriais. O subíndice industrial no S&P 500 recuou 0,90%, para 630,73 pontos.
Entre as gigantes de tecnologia, as ações operaram mistas: enquanto o Facebook subiu 1,88% e a Apple avançou 1,16%, a Snap recuou 1,67% e a Microsoft caiu 0,38%, acompanhadas pela Alphabet e pelo Twitter, que cederam 0,16% e 1,14%, respectivamente.
Ainda entre as companhias tecnológicas, a fusão da United Technologies com a Raytheon não foi bem avaliada pelos investidores, já que seus papéis recuaram, respectivamente, 3,96% e 5,11% em Wall Street.
CORRIGIR