Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de junho de 2019.
Dia da Marinha Brasileira.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 11/06 às 13h39min

Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta com China e acordo EUA-México

Estadão Conteúdo
Os mercados acionários europeus fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, 11, fortalecidos pelo apetite a risco renovado após o governo da China anunciar financiamento a grandes projetos de infraestrutura, além de ainda reagirem ao acordo alcançado entre Estados Unidos e México. Entre as principais praças, a única exceção foi Madri. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o pregão em alta de 0,58%, aos 380,80 pontos.
A China anunciou investimentos como forma de estimular sua economia, que tem apresentado desaceleração, sobretudo desde a guerra comercial estabelecida com os EUA, o que animou investidores.
Na mesma linha, o acordo firmado entre a Casa Branca e o México também renovou o apetite a risco, já que suspendeu a aplicação de tarifas americanas sobre produtos importados do país vizinho.
Nem a mais recente ameaça do presidente norte-americano, Donald Trump, de que pretende tarifar ainda mais a China caso o presidente Xi Jinping não compareça à reunião do G-20, foi suficiente para derrubar os mercados europeus.
Em Londres, o índice FTSE 100 subiu 0,31%, aos 7.398,45 pontos, com ganhos no setor minerador: a Antofagasta avançou 2,95%; a Anglo American, 2,44%; e o BHP Group encerrou em alta de 2,28%.
No país, foi divulgado que a taxa de desemprego no trimestre até abril se manteve no menor nível desde 1974, enquanto os salários tiveram avanço anual de 3,4% no período.
O índice DAX 30, da Bolsa de Frankfurt, se fortaleceu em 0,92%, aos 12.155,81 pontos. Por lá, grandes montadoras tiveram ganhos em seus papéis: a Daimler (+1,83%), a Volkswagen (+1,44%) e a BMW (+1,44%). O principal avanço se deu nas ações da Thyssenkrupp, de 4,84%.
Outras montadoras subiram no índice CAC 40, da Bolsa de Paris, que cresceu 0,48%, aos 5.408,45 pontos. A Renault cresceu 1,16% e a Peugeot, 1,15%.
O único entre os principais índices acionários da Europa que fechou em queda foi o Ibex 35, da Bolsa de Madri. Os principais recuos se deram no setor bancário, com o Caixabank caindo 1,72%, o BBVA recuando 1,24% e o Santander perdendo 0,47%.
Em Lisboa, o índice PSI 20 subiu 0,65%, aos 5.207,15 pontos e, em Milão, o FTSE MIB subiu 0,61%, para 20.609,70 pontos.
CORRIGIR