Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de junho de 2019.
Dia da Marinha Brasileira.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

mercado financeiro

11/06/2019 - 11h59min. Alterada em 11/06 às 11h59min

Otimismo externo ampara alta do Ibovespa, com cena política no radar

Estadão Conteúdo
A melhora de humor dos mercados internacionais influencia os negócios na B3, que abriu em alta e retomou a marca dos 98 mil pontos nesta terça-feira (11). A boa notícia vem da China, onde o país prepara uma série de medidas de estímulo à economia.
Neste contexto, as ações das mineradoras e siderúrgicas na Bolsa brasileira se beneficiam, apresentando valorização entre 2,6% e 5,2%, já que Pequim é um grande importador de commodity do Brasil. Às 11h58min, o Ibovespa subia 0,93%, aos 98.373 pontos. 
Nessa segunda-feira (11), o Ibovespa fechou em 97.466,69 pontos, em baixa de 0,36%.
No entanto, operadores e economistas ponderam que é importante ter cautela, diante da agenda política carregada. Alertam ainda que é preciso acompanhar os desdobramentos do episódio envolvendo o atual ministro da Justiça, Sergio Moro, após supostas trocas de mensagens com o Ministério Público no âmbito da Lava Jato na época em que era juiz federal.
No Brasil, a grande expectativa nesta terça-feira é pela aprovação do crédito extra de R$ 248,9 bilhões pedido pelo governo. A aprovação desses recursos é importante para o pagamentos de vários benefícios. "Isso é muito importante para que o governo cumpra a chamada Regra de Ouro do orçamento", diz Luiz Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença DTVM.
Para o economista Silvio Campos Neto, da Tendências Consultoria Integrada, resolver o impasse do crédito suplementar "será crucial" hoje. Conforme ele, não apenas para evitar o risco de descumprimento da Regra de Ouro, mas também para mostrar força do governo, em meio aos ruídos gerados pelo vazamento das conversas envolvendo Moro.
A questão da Previdência segue no radar, às vésperas da divulgação do relatório, acrescenta Campos Neto. Na visão do economista, é provável que Estados e municípios sigam no texto, o que é bom do ponto de vista fiscal, mas requer uma maior costura política. Hoje, governadores estão reunidos em Brasília para defender a permanência desses entes na reforma previdenciária.
Apesar dessa expectativa em torno da pauta política, Monteiro, da Renascença, afirma que ainda assim a Bolsa pode iniciar o dia com valorização, mas nada muito empolgante. "Lá fora está positivo, o minério de ferro subiu bem e as cotações do petróleo avançam", enumera. As cotações do minério no mercado futuro subiam cerca de 5%.
O otimismo externo reflete a informação de que a China dará apoio a novas emissões de bônus pelos governos locais, a fim de financiar grandes investimentos em infraestrutura, cita Campos Neto. Em sua análise, em um momento de preocupação com a desaceleração da economia, o uso deste instrumento não surpreende, mas acaba trazendo algum impulso aos mercados.
CORRIGIR