Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 08 de junho de 2019.
Dia do Citricultor.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

infraestrutura

Edição impressa de 07/06/2019. Alterada em 08/06 às 14h46min

Dnit-RS aguarda R$ 120 milhões para executar 110 km da duplicação da BR-116/Sul

Exército assumiu a execução a duplicação nos lotes 1 e 2, entre Guaíba e Tapes

Exército assumiu a execução a duplicação nos lotes 1 e 2, entre Guaíba e Tapes


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Adriana Lampert
A liberação de R$ 120 milhões para a duplicação de metade dos 211,22 km da BR-116/Sul (trecho entre Guaíba e Pelotas) deve ocorrer no segundo semestre deste ano, garantindo maior velocidade na obra, iniciada em 2012. A afirmação foi feita pelo superintendente substituto do Dnit-RS, engenheiro Pedro Luzardo Gomes, durante o Fórum Internacional de Infraestrutura e Logística, organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, realizado nesta quinta-feira no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. O Exército foi chamado para assumir dois lotes do projeto. Confira como está a obra
"A sede do Dnit em Brasília acenou com esta possibilidade de conseguirmos o aporte de recursos que garantem dar a sequência nos trabalhos na rodovia com a velocidade necessária, em vista das necessidades do momento que o País exige", ressaltou o engenheiro. Ele ponderou que, desde o ano passado, os trabalhos não estão mais paralisados, em vista do repasse de outros R$ 100 milhões (8% do valor total) para as empresas responsáveis pela duplicação da maioria dos 10 lotes da obra.
Fato é que a duplicação da BR-116/Sul está ocorrendo em ritmo lento, com atraso de quatro anos, se considerado o prazo previsto inicialmente pelo governo. De acordo com os dados apresentados por Gomes, até agora foram gastos R$ 892 milhões (62% de R$ 1,4 bilhão previsto para o empreendimento). "Em março, foram entregues os lotes 1 e 2 para que o Exército Brasileiro assumisse a conclusão dos trechos entre Guaíba e Tapes", destacou o engenheiro.
Aguardada com ansiedade pelo setor produtivo gaúcho, que precisa escoar produtos agrícolas e industriais, a duplicação da rodovia que liga a Região Metropolitana de Porto Alegre ao porto do Rio Grande está com cerca de 60% dos trechos concluídos.
CORRIGIR