Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Pecuária

23/05/2019 - 20h27min. Alterada em 23/05 às 20h32min

Brasil tenta habilitar 30 novos frigoríficos para exportação de carne para a China

Conforme a ministra, chineses estipularam que a lista brasileira deveria ser enviada até esta quinta-feira

Conforme a ministra, chineses estipularam que a lista brasileira deveria ser enviada até esta quinta-feira


VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL/JC
Agência Brasil
A missão à Ásia do Ministério da Agricultura (Mapa), realizada em maio, resultou na oportunidade para novos frigoríficos brasileiros serem avaliados pela China com o objetivo de obter autorização para exportar carne. A informação foi dada pela titular da pasta, ministra Tereza Cristina, em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (23) em Brasília.
O Ministério enviou nesta quinta-feira uma lista com 30 plantas frigoríficas que pretendem exportar para os chineses. Inicialmente, os representantes do governo brasileiro solicitaram a autorização de 78 frigoríficos. No entanto, durante as tratativas com autoridades chinesas, foi sinalizada a intenção de abertura para avaliar 20. A ministra, então, relatou que solicitou aos chineses a ampliação do número para 30 plantas.
Deste total, seis já haviam sido vistoriadas, mas ainda não estão habilitadas. As outras 24 foram selecionadas a partir de um diálogo entre a equipe do Mapa e as associações do setor e não precisarão ser vistoriadas. Dentro deste grupo, estão exportadores de bovinos (gado), avinos (frango), suínos (porco) e asininos (jumentos). "O Ministério vai fazer a conferência documental pra ver se todo mundo está pronto com todos os requisitos que a China tem nos pedido. Mas quem dá o aval é a China. Depois a negociação é entre os privados, entre pessoas na China que querem importar carne e os frigoríficos", explicou a ministra.
Não há, entretanto, um prazo para a resposta dos chineses. De acordo com a ministra, eles estipularam que a lista brasileira deveria ser enviada até esta quinta-feira, mas não adiantaram quanto tempo levarão para analisar os exportadores. Atualmente, mais de 50 plantas frigoríficas exportam para o país asiático, sendo mais de 35 trabalhando com aves, 16 com gado e 9 com porcos. Outra demanda apresentada pela delegação brasileira na China foi a revisão do protocolo do milho. "Conseguimos a promessa que vão fazer essa revisão para que Brasil possa exportar", informou Tereza Cristina.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
""