Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Reforma da Previdência

23/05/2019 - 19h23min. Alterada em 23/05 às 19h23min

Guedes diz que reforma da Previdência deve ser aprovada em até 90 dias

Ministro (e) participou de evento na Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo

Ministro (e) participou de evento na Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo


ROVENA ROSA/AGÊNCIA BRASIL/JC
Agência Brasil
O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse, nesta quinta-feira (23), que a reforma da Previdência deverá ser aprovada dentro de 60 a 90 dias, pelo Congresso Nacional. O ministro ressaltou que está otimista quanto a uma tramitação rápida das novas normas que vão alterar o sistema de aposentadoria no País.
"Acho que 60 a 90 dias isso (reforma da Previdência) está passado e vamos entrar em uma agenda extraordinariamente positiva", disse em evento da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo, na capital paulista. "O que eu sinto lá (no Congresso Nacional) é que está havendo enorme colaboração. (Sinto) o senso da classe política de que isso é uma missão importante, uma tarefa importante, e que eles vão estar à altura da responsabilidade que o momento exige. Essa é minha sensação", acrescentou.
Guedes disse que a rapidez na aprovação deve ocorrer porque o Senado já está acompanhando o assunto em uma comissão paralela, o que, segundo o ministro, evitará o alongamento do prazo para a votação depois de aprovada na Câmara dos Deputados. "O Senado montou imediatamente uma comissão para acompanhar junto, para justamente não perder mais seis meses. A aprovação deve ser relativamente rápida, ao contrário desse pessimismo geral que está por aí. Eu acredito que nós vamos ter uma reforma interessante", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
""