Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

Alterada em 20/05 às 09h01min

IGP-M desacelera a 0,58% na segunda prévia de maio, aponta FGV

No ano, indicador acumulou alta de 3,69% e, nos últimos 12 meses, de 7,78%

No ano, indicador acumulou alta de 3,69% e, nos últimos 12 meses, de 7,78%


CLAITON DORNELLES /JC
Estadão Conteúdo
O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, subiu 0,58% na segunda prévia de maio, registrando desaceleração em relação à segunda prévia do mês anterior, quando a inflação medida pelo índice ficou em 0,78%, informou nesta segunda-feira (20), a Fundação Getulio Vargas (FGV). No ano, o IGP-M acumula alta de 3,69% e, nos últimos 12 meses, de 7,78%.
O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) também arrefeceu, de um patamar de 0,89% na segunda prévia de abril para 0,72% em maio. Os preços dos Bens Finais subiram 0,26% em maio, após alta de 0,89% em abril. A maior contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de -0,23% para -5,46%.
O índice referente aos Bens Intermediários subiu 0,97% em maio, contra 0,42% em abril.
"O destaque coube ao subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa passou de 0,64% para 4,07%. A taxa do grupo Matérias-Primas Brutas foi de 1,45% em abril para 0,97% em maio", informou a FGV Ibre em nota.
O IPA agrícola caiu 1,85%, depois de ter subido 0,54% na segunda prévia do mês anterior, puxado pela soja e o milho, entre outros produtos que tiveram seu preço depreciado.
Já o IPA Industrial se manteve positivo, com alta de 1,58%, contra alta de 1% contra a segunda prévia de abril.
As matérias-primas brutas também desaceleraram o preço, saindo de uma alta de 1,4% na segunda prévia de abril para alta de 0,97% em maio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia