Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

INDÚSTRIA

Edição impressa de 20/05/2019. Alterada em 19/05 às 21h44min

Calçadistas esperam alta de 10% nas vendas no SICC

Feira começa nesta segunda com participação de 400 expositores em Gramado

Feira começa nesta segunda com participação de 400 expositores em Gramado


DINARCI BORGES/DIVULGAÇÃO/JC
 A presença de lojistas de todo o País gera expectativas na indústria calçadista brasileira para a realização do SICC - Salão Internacional do Couro e do Calçado. A feira realizada em Gramado começa hoje e ocorre até quarta-feira nos pavilhões do Serra Park. A expectativa da indústria é obter no evento um incremento nas vendas de 10% e manter as esteiras ocupadas pelos próximos meses. A feira tem os seguintes números: 400 expositores, 1,8 mil marcas de calçados femininos, masculinos, infantis, esportivos, bolsas e acessórios. A promotora espera receber 18 mil visitantes nos três dias do evento, especialmente lojistas, importadores e profissionais do setor.
De acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) o Brasil é o quarto produtor mundial de calçados. Em 2018 o País chegou a 944 milhões de pares produzidos, a maior parte deles, consumido pelo mercado interno. "Apesar do momento econômico um tanto indefinido nosso mercado interno tem sido responsável por manter nossos índices de produção. O SICC reforça a sua importância nesse contexto, por atrair esse lojista nacional", afirma o diretor da Merkator, Frederico Pletsch.
Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Calçados de Três Coroas, Joel Brando Klippel, as expectativas dos fabricantes para a feira são altas pela importância do evento no contexto brasileiro. "Temos a expectativa de uma grande feira, com um incremento de vendas de 10%. Esta feira se mostra cada vez mais forte e mais importante. Tanto é que as vendas que antecedem a feira estão em torno de 30% da capacidade industrial. É um volume baixo, que demostra que o lojista está aguardando as novidades", ressalta.
Mas a feira também vai ter um braço forte de comercialização com os mais de 200 importadores de 50 países que estarão presentes em Gramado, dentro do projeto Grupo de Importadores. "Pelos menos cerca de 50% dos nossos expositores estão inscritos para rodadas de negócios com estes compradores. Por isto, acreditamos que as exportações estarão em alta na feira, principalmente para os países da América Latina, nossos tradicionais parceiros", avalia Pletsch. O empresário salienta ainda que a promotora tem o foco em incrementar todos os anos a vinda destes compradores e "possibilitar vendas híbridas para os expositores", acentua. Ainda que os tradicionais parceiros representem um volume significativo de vendas, a organização tem trabalhado para atrair novos mercados. "Pela primeira vez teremos compradores da Itália. Outros países que não costumam consumir nosso produto também foram atraídos, como Hungria, Filipinas, Bulgária e Polônia" finaliza o diretor da Merkator Feiras e Eventos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia