Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de maio de 2019.
Dia do Assistente Social.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 15/05 às 08h09min

Bolsas da Ásia fecham em alta, recuperando-se mesmo após dados modestos da China

Estadão Conteúdo
As bolsas asiáticas fecharam com ganhos nesta quarta-feira (15), recuperando-se após quedas recentes. Investidores monitoraram sinais da tensão comercial entre Estados Unidos e China e também indicadores chineses. Os dados mostraram desaceleração em abril, mas o sinal negativo da economia pode ter sido contrabalançado pela esperança de novos estímulos por parte de Pequim mais adiante.
Na China, a Bolsa de Xangai fechou em alta de 1,91%, em 2.938,68 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, subiu 2,33%, a 1.650,21 pontos.
Na agenda de indicadores, a produção industrial chinesa cresceu 5,4% em abril, na comparação anual, após alta de 8,5% em março, abaixo da previsão de avanço de 6,6% dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. As vendas no varejo tiveram expansão de 7,2% em abril, abaixo do ganho de 8,7% de março e da previsão de acréscimo de 6,6%, enquanto os investimentos em ativos fixos não-rurais cresceram 6,1% entre janeiro e abril, ante igual intervalo de 2018, ante expectativa de alta de 6,4%.
Além disso, o governo chinês se pronunciou novamente sobre as tensões com os EUA. Em entrevista coletiva, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês disse que o país espera um "ambiente justo" para suas empresas, em meio a relatos de que o governo americano poderia restringir a presença chinesa no setor de equipamentos de telecomunicações citando como razão para isso a segurança nacional.
Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em alta de 0,52%, em 28.268,71 pontos, após ter recuado em três das últimas quatro sessões. A seguradora AIA subiu 2,25% e a Tencent teve ganho de 0,9%, antes de seu balanço, que sairia depois do encerramento do pregão. Já Link REIT caiu 1,4%, um dia após atingir patamar recorde.
Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei avançou 0,58%, a 21.188,56 pontos. O setor de eletrônicos puxou a recuperação da praça japonesa, após várias sessões de recuos. Renesas subiu 11% após balanço, enquanto Sony avançou 4%.
Na Coreia do Sul, o índice Kospi registrou ganho de 0,53%, a 2.092,78 pontos, afastando-se da mínima em quatro meses registrada nessa segunda-feira (13). Hyundai Engineering & Construction subiu 6,2% e Samsung Biologics, 1,1%. Já Korea Electric Power teve baixa de 2,05% e Samsung Electronics caiu 0,2%.
Em Taiwan, o índice Taiex fechou em alta de 0,39%, em 10.560,71 pontos, encerrando uma sequência de cinco dias de baixas. Walsin subiu 2,7%, em dia positivo também para grandes companhias do setor financeiro.
Na Oceania, na Bolsa de Sydney o índice S&P/ASX 200 fechou com ganho de 0,71%, em 6.284,20 pontos, reagindo após um fechamento na mínima em cinco semanas. O setor de energia subiu 1,6% e o financeiro teve alta de 0,4%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia