Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Contas Públicas

Alterada em 13/05 às 19h02min

TCU aponta 52 mil indícios de irregularidades no contracheque de órgãos públicos

Estadão Conteúdo
Análise do Tribunal de Contas da União encontrou 51.636 indícios de irregularidades no gasto de pessoal de órgãos da Administração Pública Federal, nos meses de março a setembro do ano passado. As informações foram divulgadas no site do TCU.
O relator é o ministro Aroldo Cedraz.
A fiscalização ocorreu em 798 unidades jurisdicionadas do Judiciário, Legislativo, Ministério Público da União, Forças Armadas, Banco Central e empresas estatais.
Desse montante, 17.168 indícios foram corrigidos e resultaram em ganhos para os cofres públicos.
Os 34.468 mil restantes ainda não foram esclarecidos pelos gestores responsáveis, destaca o TCU.
Dez órgãos somam 64% dos problemas detectados e deverão apresentar, em até 60 dias, plano de ação para solucionar as pendências.
Entre os indícios de irregularidades constam pagamento a pensionista já falecido, servidor ativo com mais de 75 anos, servidor falecido recebendo remuneração, pessoas proibidas de assumir cargos públicos, auxílio alimentação pago em duplicidade, entre outros.
Os dados estão no relatório do quarto ciclo de fiscalização dos dados cadastrais e folhas de pagamento do serviço público.
Nessa rodada, parceria com os tribunais estaduais e municipais permitiu avaliar os dados das unidades federativas.
Foram encontrados 136.671 indícios de diversas irregularidades envolvendo 16.243 entidades. Como elas estão fora da jurisdição do TCU, os resultados foram encaminhados aos órgãos competentes para apuração.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia