Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 07 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 07/05 às 08h06min

Bolsas da Ásia fecham sem sinal único, com Tóquio em queda na volta de feriado

Estadão Conteúdo
As bolsas asiáticas fecharam sem sinal único, nesta terça-feira (7). As praças chinesas tiveram sessão mais calma e subiram, após o recuo forte da sessão anterior, que foi marcada pela aversão ao risco após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar no domingo a decisão de impor mais tarifas contra produtos chineses. Hoje, a Bolsa de Tóquio registrou perdas, depois de não ter operado no dia anterior.
Na China, a Bolsa de Xangai fechou em alta de 0,69%, em 2.926,39 pontos, e a de Shenzhen registrou ganho de 1,62%, a 1.610,76 pontos. Com isso, recuperaram-se após ambas registrarem na segunda-feira o maior recuo diário desde fevereiro de 2016. Air China subiu 0,76% e Bright Dairy & Food A teve ganho de 5,60%, em Xangai.
Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei recuou 1,51%, a 21.923,72 pontos. Entre os maiores declínios estiveram os setores de eletrônicos e maquinário. Murata Manufacturing caiu 13,20, Komatsu teve baixa de 10,06% e Fujitsu, de 9,10%.
Em Hong Kong, o índice Hang Seng registrou alta de 0,52%, a 29.363,02 pontos. Uma reação da bolsa na parte da tarde garantiu o resultado positivo, em movimento similar ao ocorrido hoje nas ações chinesas. A seguradora AIA subiu 1,7%, recuperando quase a metade da queda forte da sessão anterior, e Tencent teve alta de 1,4%. Juntas, elas representaram 60% dos ganhos do Hang Seng hoje. A petroleira chinesa CNOOC subiu 3,1%, mas a WH, fabricante de carne de porco, recuou 1,1%.
Na Coreia do Sul, o índice Kospi fechou em baixa de 0,88%, a 2.176,99 pontos, na volta de um feriado local na segunda-feira. Trata-se da sexta queda nas últimas oito sessões na Bolsa de Seul, em jornada negativa para papéis do setor de construção. Já Celltrion Pharm subiu 1,9% e Korea Electric Power teve alta de 0,5%.
Em Taiwan, o índice Taiex avançou 0,83%, a 10.987,14 pontos, recuperando parte das perdas de ontem. No setor de eletrônicos, Hon Hai subiu 2%, enquanto Taiwan Semi teve alta de 1,35%. Já no setor financeiro, Mega caiu 1,5%.
Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 fechou em alta de 0,19%, em 6.295,70 pontos, após o banco central da Austrália decidir manter a taxa básica de juros, com analistas divididos sobre a chance de um corte para estimular a economia local. O setor financeiro registrou baixa de 0,3%, mas as mineradoras foram apoiadas pelo avanço do minério de ferro, impulsionado por uma decisão judicial negativa para a Vale no Brasil. Fortescue Metal Group teve alta de 6,29% e BHP Group, de 1,36%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia