Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de abril de 2019.
Dia Mundial do Livro. Dia Mundial do Escoteiro.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

aviação

Alterada em 23/04 às 12h46min

Demanda doméstica por voos cresce 4,3% no 1º trimestre, diz Anac

Somente em março a alta foi de 3,4% em relação ao mesmo mês de 2018

Somente em março a alta foi de 3,4% em relação ao mesmo mês de 2018


NELSON ALMEIDA/AFP/JC
Estadão Conteúdo
A demanda por voos domésticos (medida em passageiros-quilômetro pagos transportados, ou RPK) cresceu 4,3% nos primeiros três meses deste ano, em relação ao verificado no mesmo período do ano passado, segundo informações divulgadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Somente em março a alta foi de 3,4% em relação ao mesmo mês de 2018.
Já a oferta doméstica de assentos (assentos-quilômetros ofertados, ou ASK) avançou 3,4% no primeiro trimestre desde ano, frente os três primeiros meses de 2018. Em março, a expansão foi de 2,2%.
A taxa de aproveitamento de voos domésticos atingiu 81% em março e 82,6% no acumulado do trimestre, alta de 1,1 ponto porcentual e 0,9 ponto porcentual em relação ao ano anterior, respectivamente.
Em número de passageiros transportados, a Anac destacou que o mercado doméstico alcançou 24 milhões entre janeiro e março deste ano, cerca de 1 milhão a mais na comparação com igual etapa do ano passado.
Na abertura por empresas, Avianca Brasil, em recuperação judicial desde dezembro, e Latam apresentaram retração da demanda por voos domésticos em março, de 7,5% e 0,7%, respectivamente. Azul e Gol, por sua vez, apresentaram crescimento de 20,1% e 3,2%.
Com isso, Gol segue em posição de liderança em voos internos, com 34,1% de participação (-0,2%), seguida por Latam, com 31,8% (-4%). Já a Azul alcançou participação de 21,2% em março, enquanto a Avianca respondeu por 12,6% da demanda doméstica.
No mercado internacional, a demanda das empresas brasileiras subiu 10,7% no primeiro trimestre, ante igual período de 2018, enquanto a oferta cresceu 13,1%. Com isso, a taxa de ocupação caiu a 81,9%.
Somente em março, a demanda por voos internacionais das aéreas nacionais também cresceu 10,7% e a oferta avançou 11,7%, enquanto a taxa de ocupação ficou em 81,4%. Somente neste mês foram transportados 801 mil passageiros pagos em voos internacionais.
Entre as empresas, a Latam registrou crescimento de 15,3% na demanda e seguiu na liderança, com 70,9% de participação de mercado, seguida por Azul, que teve demanda 2,7% maior e atingiu 13,6% de market share. Gol anotou crescimento de 20,7% e chegou a 12,5% de participação, enquanto Avianca teve retração de 42,6% e ficou com 3% da demanda internacional.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia