Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 20 de abril de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Alterada em 20/04 às 18h17min

Guedes defende mesma transparência do Copom para política de preços da Petrobras

'O Castello Branco (presidente da Petrobras) tem de ser o Copom do petróleo", disse Guedes

'O Castello Branco (presidente da Petrobras) tem de ser o Copom do petróleo", disse Guedes


JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL/JC
Estadão Conteúdo
O ministro da Economia, Paulo Guedes, recorreu neste sábado (20), à transparência do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central para dar como exemplo o quão clara deve ser a política de reajuste de preços dos combustíveis pela Petrobrás.
"O Castello Branco (Roberto, presidente da Petrobras) tem que ser o Copom do petróleo", declarou em entrevista ao Blog da jornalista Julia Duailibi.
Guedes voltou a defender que a Petrobras é livre para definir os preços. O posicionamento ocorre após a divulgação de áudio em que o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, apareceu falando que o governo deu uma "trava" na Petrobrás.
Procurando evitar polêmica com o colega, o titular da Economia limitou-se a dizer que "ele Onix é muito leal e tem me ajudado muito". No entanto, segundo a entrevista à jornalista, uma das questões no radar da equipe econômica é aumentar a periodicidade de reajuste do diesel de 15 dias para no mínimo 30.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia