Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de abril de 2019.
Páscoa.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Edição impressa de 16/04/2019. Alterada em 16/04 às 03h00min

Ibovespa sobe 0,22% e dólar cai para R$ 3,8681

Depois de quatro quedas consecutivas, com as quais perdeu 4,6%, o Índice Bovespa teve ontem uma recuperação tímida, com alta de 0,22%, aos 93.082 pontos. A escassez de informações concretas sobre a tramitação da reforma da Previdência e a política de preços da Petrobras foi o principal motivo para a falta de fôlego do índice, que alternou pequenas altas e baixas ao longo da tarde.
As ações da Petrobras foram importante referência para os negócios desde a abertura. Depois de terem caído entre 7% e 8% na sexta-feira, por conta da interferência de Bolsonaro no diesel, os papéis buscaram uma recuperação. A falta de novidades, no entanto, tirou o fôlego das ações. Ao final do pregão, Petrobras ON teve queda de 0,07%, enquanto Petrobras PN avançou 0,39%.
O dólar teve um movimento de correção ontem, após subir 1,7% nas duas últimas sessões da semana passada. Investidores aproveitaram o dia de dólar em baixa no exterior e de noticiário local fraco para desfazer posições defensivas na moeda americana. O mercado passou o dia monitorando e esperando o resultado de dois eventos, um encontro entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente Jair Bolsonaro, para discutir os preços do diesel, e uma reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara para discutir a reforma da Previdência e a proposta do Orçamento impositivo.
O dólar à vista fechou em queda de 0,52%, a R$ 3,8681. Pela manhã, a moeda americana abriu em alta e chegou a encostar novamente em R$ 3,90, como já havia feito na sexta-feira após Bolsonaro segurar o aumento do preço do diesel que havia sido decidido pela Petrobras. A moeda neste patamar atraiu vendedores, e as cotações passaram a cair.
.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia