Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de abril de 2019.
Dia da Engenharia.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Edição impressa de 10/04/2019. Alterada em 10/04 às 03h00min

Presidente da Apex é demitido após crise com chanceler de Bolsonaro

Após uma queda-de-braço com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o embaixador Mário Vilalva foi exonerado, nesta terça-feira, da presidência da Agência de Promoção das Exportações (Apex). Vilalva vinha se desentendendo, por uma série de fatores, com os outros diretores da agência: Letícia Catelani, de Negócios; e Márcio Coimbra, de Gestão. Ambos contavam com o apoio de Araújo. Mas declarações dadas à imprensa nos últimos dias pelo embaixador contra o chanceler, como a realização de mudanças no estatuto da agência, culminaram com seu afastamento.
Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou que a saída de Vilalva faz parte do processo de dinamização e modernização do sistema de promoção comercial brasileiro. Porém, segundo fontes, diante das brigas internas na Apex e nas críticas diretas a ele e ao secretário-geral do Itamaraty, Otávio Brandelli, o ministro se viu forçado a demitir o diplomata, antes que perdesse o controle da situação.
Fontes da área diplomática avaliam que o ministro sai perdendo de qualquer maneira. Isto porque Vilalva é o segundo presidente da Apex em menos de três meses. O primeiro, que também bateu de frente com os dois diretores e com o próprio Ernesto Araújo, foi Alex Carrero. Essa imagem de descontrole preocupa o Palácio do Planalto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia