Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 29 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Bancos

Alterada em 29/03 às 14h54min

Caixa continuará financiando Minha Casa Minha Vida, diz presidente do banco

Segundo o presidente do Banco, a Caixa seguirá financiando o programa e ampliará o financiamento pelo SBPE

Segundo o presidente do Banco, a Caixa seguirá financiando o programa e ampliará o financiamento pelo SBPE


MARCELO CAMARGO/ABR/JC
Estadão Conteúdo
O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que o programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) seguirá sendo financiado pela instituição, ao mesmo tempo em que o banco irá ampliar o financiamento pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).
"O Minha Casa Minha Vida é um programa de Estado e a Caixa vai continuar prestando serviço para a sociedade", disse, lembrando que esse "funding" vem do Orçamento Geral da União (OGU) e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). "No faixa 1, executamos a coordenação da obra e vamos continuar, a partir de uma estratégia do Estado", afirmou.
A faixa 1 atende as famílias mais pobres, com renda mensal de até R$ 1,6 mil, e conta com subsídios originados no Orçamento Geral da União (OGU) que cobrem até 90% do valor dos imóveis. Houve um contingenciamento de recursos no começo deste ano para o MCMV, que já voltou a funcionar, com exceção da faixa 1 onde ainda o setor sente restrições.
Do ponto de vista de SBPE, onde são utilizados recursos do próprio banco para o financiamento, Guimarães afirmou que a instituição pública quer crescer mais, lembrando ter havido retração nos últimos três anos. "É um crédito importante e temos um conhecimento histórico do mercado de crédito que tem de ser aproveitado. Vamos voltar a crescer nessa linha, sem mudança das taxas", disse.
"A ideia é desburocratizar o processo no SBPE, para que possamos concorrer com os demais bancos no mercado e sermos, inclusive, protagonistas nesse financiamento", acrescentou Jair Mahl.
O saldo da carteira de crédito habitacional cresceu 3,0%, para R$ 444,7 bilhões em dezembro, sendo R$ 265,2 bilhões com recursos FGTS e R$ 179,4 bilhões com recursos Caixa/SBPE. O banco público segue na liderança do segmento, com 68,8% de participação, ganho de 0,6 p.p em 12 meses.
Os contratos pela Caixa de Minha Casa Minha Vida somaram R$ 62,5 bilhões, ou 505.494 novas unidades habitacionais, das quais 21,1% na faixa 1 do programa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia