Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 27 de março de 2019.
Dia Internacional do Teatro e Dia do Circo.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Edição impressa de 27/03/2019. Alterada em 27/03 às 03h00min

Dufry vai abrir em Uruguaiana primeiro free shop no Estado

Rede estuda a possibilidade de investimentos em outras localidades do Estado

Rede estuda a possibilidade de investimentos em outras localidades do Estado


JOÃO MATTOS/JC

A Dufry confirmou ontem que vai inaugurar, ainda neste semestre, sua primeira loja de free shop terrestre no Rio Grande do Sul. Uruguaiana deve ser a primeira cidade a receber uma unidade da rede, com previsão de abertura até julho. 

Além de Uruguaiana, a rede estuda a possibilidade de investimentos em outras localidades do Estado. A informação foi dada pelo deputado Frederico Antunes (PP), presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Implantação de Free Shops do lado brasileiro, após confirmação do presidente da Dufry no Brasil Humberto Mota e do CEO Gustavo Fagundes.

Fundada em 1865, a suíça Dufry é líder mundial de varejo de viagem e opera aproximadamente em 2,2 mil pontos de venda localizados em 64 países de todos os continentes e conta, atualmente, com 2,5 mil funcionários no Brasil.

Estrangeiros e brasileiros poderão fazer compras nos free shops de cidades de fronteira, com limite mensal de compra de US$ 300 por pessoa. Atualmente, 20 dos 32 municípios brasileiros aptos a receber lojas no Brasil já possuem legislação local autorizando a implantação de free shops.

Em março do ano passado, a Receita Federal publicou a regulamentação que liberava a abertura de lojas francas em fronteiras terrestres no Brasil. Estão livres para funcionar lojas como as que operam em portos e aeroportos, conhecidas como free shop, com regime aduaneiro especial para vender mercadorias nacionais ou estrangeiras sem cobrança de impostos para passageiros em viagem internacional, com pagamento na moeda nacional ou estrangeira.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia