Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 15 de março de 2019.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

15/03/2019 - 14h47min. Alterada em 15/03 às 14h47min

Bolsas da Europa sobem, com sinais de comércio EUA-China e foco no Brexit

Estadão Conteúdo
As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, 15, apoiadas por sinalizações de avanço no diálogo comercial entre Estados Unidos e China, embora ainda sem um acordo à vista. Além disso, continuou no radar dos investidores o processo de saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,68%, em 381,10 pontos, e na semana avançou 2,84%.
Algumas declarações dos dois lados apoiaram o humor sobre o diálogo entre Washington e Pequim no comércio. Foi informado pela imprensa estatal chinesa que o vice-premiê Liu He falou por telefone com autoridades americanas, entre elas o representante comercial, Robert Lighthizer. Além disso, lideranças deram sinalizações em geral otimistas sobre a chance de um acordo, embora já se saiba que ele não deve se materializar ainda em março.
Na Europa, o fato de o Parlamento britânico ter decidido solicitar mais prazo à União Europeia agradou a investidores, já que pode aumentar a chance de um acordo. Não se sabe, porém, se esse prazo extra se materializará nem se pode haver meios de se resolver as diferenças.
Na agenda de indicadores, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 1,5% em fevereiro, na comparação anual, como esperado pelos analistas.
Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,60%, em 7.228,28 pontos, e na comparação semanal avançou 1,74%. Entre os destaques, Whitbread subiu 4,8%, mas Morrissons Supermarkets perdeu 1,7%.
Em Frankfurt, o índice DAX teve ganho de 0,85%, a 11.685,69 pontos, e na semana subiu 1,99%. Entre os bancos alemães, Commerzbank subiu 2,10%, mas Deutsche Bank caiu 0,93%. Deutsche Telekom teve ganho de 1,78%.
Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 registrou alta de 1,04%, a 5.405,32 pontos, e na comparação semanal ganhou 3,33%.
Em Milão, o índice FTSE-MIB subiu 0,80%, a 21.045,41 pontos, e na semana teve ganho de 2,74%. Intesa Sanpaolo teve ganho de 1,34% e UniCredit, de 0,17%, enquanto ENI ganhou 0,32%.
Na bolsa de Madri, o índice IBEX-35 avançou 1,44%, a 9.342,20 pontos, fechando na máxima do dia, e na semana subiu 2,33%. Santander se destacou, em alta de 1,66%, e BBVA, 1,72%. Já CaixaBank cedeu 0,51%.
Em Lisboa, o índice PSI-20 recuou 0,60%, a 5.240,00 pontos, na contramão das demais praças, mas na comparação semanal avançou 1,14%. (Com informações da Dow Jones Newswires)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia