Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 06 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Fraude

06/03/2019 - 08h42min. Alterada em 06/03 às 08h42min

Após pagar fiança, Carlos Ghosn é libertado da prisão em Tóquio

Brasileiro, que saiu de máscara e boné azul, pagou 1 bilhão de ienes, equivalente a R$ 33,8 milhões

Brasileiro, que saiu de máscara e boné azul, pagou 1 bilhão de ienes, equivalente a R$ 33,8 milhões


Behrouz MEHRI/AFP/JC
Estadão Conteúdo
Após 108 dias preso em Tóquio, o executivo Carlos Ghosn foi libertado nesta quarta-feira (6). O brasileiro pagou fiança de 1 bilhão de ienes (R$ 33,8 milhões), estabelecida na véspera pela Justiça japonesa. A informação foi divulgada pela emissora de TV NHK.
Ghosn é acusado de falsificar informes sobre seus rendimentos e de ter se beneficiado pessoalmente de recursos da Nissan, montadora japonesa da qual foi o principal executivo e o presidente do conselho de administração.
O julgamento do brasileiro não está marcado, mas não deverá ocorrer em um prazo inferior a seis meses, segundo a avaliação de advogados. Até lá, Ghosn permanecerá vivendo em Tóquio.
Imagens da NHK mostram Ghosn saindo da prisão vestindo um uniforme, máscara e boné. Ele deixou o prédio entrou em uma van, sob os olhares de centenas de jornalistas que o aguardavam. O executivo nega irregularidades e diz estar passando por um "terrível martírio".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia