Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 05 de março de 2019.
Dia da Música Clássica. Carnaval.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 05/03 às 16h57min

Mercados fecham na maioria em alta, com foco em dados, comércio e Brexit

Estadão Conteúdo
As bolsas europeias fecharam sem sinal único, nesta terça-feira (5) mas a maioria em território positivo. Durante uma sessão volátil, investidores monitoraram indicadores da região, as negociações comerciais entre Estados Unidos e China e o complexo processo para a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,15%, em 375,64 pontos.
Na agenda de indicadores, as vendas no varejo da zona do euro cresceram 1,3% em janeiro ante dezembro, como esperado pelos analistas. Já o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da região subiu de 51,0 em janeiro a 51,9 em fevereiro, na máxima em três meses e acima da previsão de 51,4. Na Itália, o Produto Interno Bruto (PIB) da Itália encolheu 0,1% no quarto trimestre de 2018 ante o terceiro, o que confirmou recessão técnica no país.
No mercado cambial, a libra se enfraqueceu, em meio às preocupações com o Brexit e após o PMI de serviços do Reino Unido, que subiu a 51,3 em fevereiro, mas mostrou detalhes que sugerem perspectiva sombria à frente, com o emprego particularmente enfraquecido. A libra mais fraca tende a ajudar as ações de exportadoras britânicas.
Entre as notícias corporativas, Vodafone Group subiu 1,99% em Londres, após a empresa informar que pretende levantar 4 bilhões de euros por meio de uma emissão de bônus. Na Bolsa londrina, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,69%, a 7.183,43 pontos. Barclays subiu 0,50%, mas Lloyds recuou 0,24%, entre os bancos britânicos. A petroleira BP registrou alta de 0,41%, enquanto a mineradora Glencore subiu 0,25%.
Em Frankfurt, o índice DAX teve ganho de 0,24%, a 11.620,74 pontos. Entre os papéis mais negociados, Aroundtown subiu 0,96% e Deutsche Telekom avançou 0,72%, enquanto Deutsche Bank caiu 0,85% e Schaeffler recuou 3,02%.
Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 registrou alta de 0,21%, a 5.297,52 pontos. A petroleira Total subiu 0,95%, entre as ações mais negociadas, enquanto Vallourec caiu 2,67%. BNP Paribas teve baixa de 0,95%, mas Orange subiu 0,34%.
Em Milão, o índice FTSE-MIB teve queda de 0,01%, a 20.715,97 pontos. Telecom Italia subiu 2,96%, Intesa Sanpaolo caiu 0,18% e Banco BPM teve baixa de 1,49%. A montadora Fiat Chrysler avançou 0,83%.
O índice IBEX-35, da Bolsa de Madri, recuou 0,02%, a 9.258,20 pontos. Santander subiu 0,06%, mas Banco de Sabadell caiu 0,09%, entre os bancos espanhóis. Iberdrola subiu 0,52%, mas Duro Felguera cedeu 0,68%.
Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 subiu 0,01%, a 5.276,72 pontos. Banco Comercial Português caiu 0,45% e Altri, 0,40%, enquanto Galp Energia teve alta de 0,37%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia