Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Edição impressa de 04/03/2019. Alterada em 03/03 às 01h00min

Bolsa tem pior semana do ano e acumula recuo de 3,35%; dólar sobe para R$ 3,7812

Com a queda de mais de 1% na sexta-feira, a bolsa brasileira registrou a pior semana do ano. O Ibovespa, principal índice acionário do Brasil, encerrou a sexta-feira com queda de 1,03%, a 94.603 pontos. O giro financeiro foi deR$ 13,554 bilhões, abaixo da média do ano. Na semana, o recuo foi 3,35%, reduzindo os ganhos no ano para 7,64%.
Uma série de notícias contaminou o ânimo do mercado ao longo da semana. Segundo dados divulgados na última quinta-feira, o PIB avançou 1,1% em 2018, resultado abaixo das estimativas. No mesmo dia, em conversa com jornalistas, Jair Bolsonaro afirmou que poderá reduzir para 60 anos a idade mínima de aposentadoria de mulheres, ante os 62 apresentados na PEC (Proposta de Emenda à Constituição), o que pode colocar em risco a economia de R$ 1 trilhão prevista pela equipe econômica.
Na sexta-feira, também, contribuiu para o resultado negativo a cautela dos investidores ante o feriado prolongado de Carnaval. A bolsa funciona apenas na próxima quarta-feira. Antes de longos períodos sem negócios, como será o caso no Carnaval, investidores tendem a reduzir a exposição a ativos de risco, para evitar perdas expressivas em caso de mudança nas condições de mercado.
Pressionados pela queda do petróleo, os papéis PN da Petrobras caíram 1,33%, e os ON, 2,21%. As ações da Vale, que chegaram a cair mais de 2%, fecharam em queda de 0,76%. Também houve perdas generalizadas de ações do bloco financeiro - Bradesco PN (-1,66%), Itaú PN (-1,08%) e Santander Unit (-1,42%).
O dólar fechou, na sexta-feira, no maior valor desde o dia 22 de janeiro, quando terminou em R$ 3,80. No final da sessão, a moeda norte-americana subiu 0,74%, para R$ 3,7812. Na semana, acumulou alta de 1,09%.
.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia