Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 01 de março de 2019.
Dia do Turismo Ecológico.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 01/03 às 12h04min

Com exterior positivo e cautela com Previdência, Ibovespa tem vaivém

Estadão Conteúdo
Depois de abrir em alta, o Ibovespa marcou mínima em queda e, minutos depois, voltou a subir na manhã desta sexta-feira, 1º de março, de noticiário e agenda econômica doméstica fracos. O vaivém no início do pregão revela o embate entre a influência positiva do exterior e o desapontamento dos agentes do mercado com a desidratação precoce da reforma da Previdência, pelo próprio presidente Jair Bolsonaro.
Às 10h44min, o Ibovespa caía 0,13% aos 95.455,58 pontos.
"Não tem notícia que justifique a valorização. Hoje vemos um respiro porque teve uma realização forte ontem", afirmou o gestor de renda variável da Absolute Investimentos Tiago Ring.
O mesmo entendimento tem um operador do mercado de ações de uma grande corretora. "Não há motivos para a Bolsa subir", disse o profissional, exceto o fato de Eletrobras, BR Foods, Ambev e grandes bancos terem perdido muito valor na quinta-feira.
A desidratação da proposta da Previdência por Bolsonaro antes mesmo de o debate sobre a reforma ter começado na Câmara dos Deputados continua pesando negativamente. Como afirmou a colunista do Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) Elizabeth Lopes, Bolsonaro "conseguiu atropelar sua própria equipe econômica e expor, em um café da manhã com jornalistas, o que seria o trunfo governamental na difícil negociação das mudanças previdenciárias".
Entre as gorduras que ele disse ser necessário cortar, está a idade mínima para as mulheres se aposentarem e as novas regras para a concessão do Benefício por Prestação Continuada (BPC) para idosos de baixíssima renda.
Além do contexto político doméstico, as mudanças em índices de ações de emergentes pelo MSCI segue gerando cautela. Nesta sexta, o provedor de indicadores anunciou que irá mais do que quadruplicar a contribuição de ações de empresas da China em três etapas este ano, tornando papéis negociados nas Bolsas de Xangai e Shenzhen muito mais relevantes para investidores globais.
A postura mais defensiva pode fica mais nítida ao longo do dia por conta do feriadão. O Carnaval manterá o mercado brasileiro na segunda e terça-feira. Na quarta-feira, os negócios começam somente às 13h, depois, portanto, da abertura das bolsas em Nova Iorque.
Da fraca agenda econômica desta manhã, um destaque é o indicador de atividade industrial brasileiro, que avançou para 53,4 pontos em fevereiro, após marcar 52,7 pontos em janeiro. O dado é da IHS Markit, que calcula mensalmente o Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês). O movimento, dizem economistas da consultoria, é reflexo "de um aumento acentuado e acelerado na produção".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia