Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Balanços

Edição impressa de 28/02/2019. Alterada em 28/02 às 08h07min

Lucro da Petrobras atinge R$ 25,8 bilhões em 2018

Receita da companhia petrolífera cresceu 23% durante o ano passado

Receita da companhia petrolífera cresceu 23% durante o ano passado


/STÉFERSON FARIA/AG. PETROBRAS/JC
A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 25,779 bilhões em 2018, contra prejuízo de R$ 446 milhões em 2017. Foi o primeiro lucro anual da companhia desde 2013, antes da descoberta do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato.
O desempenho foi favorecido pelos maiores preços dos combustíveis no Brasil e da alta do preço do petróleo no mercado internacional. Por outro lado, houve impacto negativo de provisões no valor de R$ 7,4 bilhões, principalmente para litígios com a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis) e com a norte-americana Vantage Drilling, além de R$ 7,6 bilhões em baixa no valor de ativos, como campos de petróleo e navios.
"A performance da Petrobras no ano que passou foi indiscutivelmente a melhor em muitos anos", disse o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, em mensagem que acompanha o balanço divulgado ontem.
Com maiores preços dos combustíveis, a receita da companhia cresceu 23% em 2018, para
R$ 349,8 bilhões. O Ebitda (indicador que mede a geração de caixa) foi de R$ 114,9 bilhões, alta de 50%.
Principal foco de atenção do comando da empresa, o endividamento líquido caiu 4% no ano, para R$ 268,8 bilhões. A relação entre dívida e Ebitda, que indica a capacidade que uma companhia tem de honrar seus compromissos, foi de 2,34 vezes, contra 3,67 vezes em 2017.
No ano, a receita de vendas totalizou R$ 349,836 bilhões, aumento de 23%, refletindo os maiores preços dos derivados no mercado interno, principalmente diesel e gasolina, e das exportações, acompanhando o aumento de 31% da cotação do Brent e a depreciação de 14% do real. Apesar do maior volume de vendas de diesel, houve queda no volume total das vendas de derivados no mercado interno em 3% e nas exportações em 10%, em função da menor produção
No quarto trimestre, o lucro da Petrobras foi de R$ 2,102 bilhões, contra prejuízo de R$ 5,477 bilhões no mesmo período do ano anterior. Nos três meses imediatamente anteriores, a empresa havia reportado lucro líquido de
R$ 6,6 bilhões, conforme os números atribuíveis aos acionistas.
De acordo com a petroleira, a queda no lucro líquido na comparação trimestral decorreu das menores margens nas vendas de derivados e ao impacto dos itens especiais. "Excluindo o impacto dos itens especiais, o lucro líquido seria R$ 8,035 bilhões, e Ebitda ajustado, R$ 31,020 bilhões", apontou a empresa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia