Porto Alegre, sábado, 01 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 01 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

energia

- Publicada em 02h40min, 15/02/2019.

Consumo de energia crescerá 2,2% ao ano até 2040

Segundo o Grupo BP, gás ganhará espaço na matriz energética global

Segundo o Grupo BP, gás ganhará espaço na matriz energética global


/AGÊNCIA PETROBRAS/DIVULGAÇÃO/JC
O consumo total de energia no Brasil deverá crescer 2,2% ao ano até 2040, acima da média global de 1,2% ao ano, conforme estimativas do Grupo BP. Segundo a empresa, o consumo de energia primária entre 2017 e 2040 saltará de 294 milhões para 485 milhões de toneladas equivalente de petróleo, avanço de 65%. Conforme os números do grupo, as áreas cujo consumo crescerá mais ano a ano serão energia nuclear (4,5%), renováveis (4,5%) e gás (3,4%).
O consumo total de energia no Brasil deverá crescer 2,2% ao ano até 2040, acima da média global de 1,2% ao ano, conforme estimativas do Grupo BP. Segundo a empresa, o consumo de energia primária entre 2017 e 2040 saltará de 294 milhões para 485 milhões de toneladas equivalente de petróleo, avanço de 65%. Conforme os números do grupo, as áreas cujo consumo crescerá mais ano a ano serão energia nuclear (4,5%), renováveis (4,5%) e gás (3,4%).
Nas energias renováveis (não considerando as hidrelétricas), o consumo entre 2017 e 2040 sairá de 41 milhões para 112 milhões de Toneladas Equivalentes de Petróleo (TEP), salto de 173%. Já o de gás deverá ir de 38 TEP para 82 TEP, crescimento de 114%. As nucleares passarão de 4 para 10 TEP em igual período.
A mudança vai levar para uma mudança significativa na participação das fontes energéticas na matriz total. A participação do petróleo no consumo total deverá cair de 40%, em 2017, para 34% em 2040. Já o gás subirá de 11% para 15%, e as renováveis, de 14% para 23%.
O consumo de energia com origem nas hidrelétricas também deverá saltar de 84 TEP para 112 TEP. A participação, entretanto, cairá de 28% para 23% entre 2017 e 2040 - em nível equivalente às renováveis.
Já o consumo de energia elétrica crescerá 2,8% ao ano no período, com consumo total 89% maior em 2040 ante 2017. A utilização de energias renováveis (incluindo biocombustíveis e excluindo hidrelétricas) global deverá aumentar 381% entre 2017 e 2040. A participação total do modelo energético deverá saltar de 4% para 15% do consumo global.
O gás ganhará espaço na matriz energética global (23% de participação, em 2017, para 26% em 2040) e ocupará parte do espaço do carvão, cuja participação deverá cair de 28%, em 2018, para 20% em 2040.
A indústria apresentará um salto de 50% no consumo, de 114 TEP, em 2017, para 172 TEP em 2040, figurando, ainda, como a principal consumidora, com 35% de participação (ante 39% em 2017). Em seguida, virá o uso para o transporte, que crescerá 62% até 2040, com participação de 31%.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO