Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Logística

Edição impressa de 14/02/2019. Alterada em 18/02 às 14h30min

Motoristas voltam a pagar pedágio na freeway no Rio Grande do Sul

Pedágio em Gravataí começou a ser testado, sem cobrança, desde a segunda-feira

Pedágio em Gravataí começou a ser testado, sem cobrança, desde a segunda-feira


LUIZA PRADO/JC
Lívia Rossa
Atualizada às 10h de 15/02/2019
A cobrança de pedágio na BR-290 (freeway), que liga Porto Alegre e Região Sul e Fronteira-Oeste ao Litoral Norte e BR-101, para saída do Rio Grande do Sul, já voltou. Desde a 0h desta sexta-feira (15), os motoristas voltaram a pagar a tarifa nos postos situados em Gravataí e em Santo Antônio da Patrulha. O grupo CCR, que venceu a concorrência pela rodovia e outros três trechos de estradas federais gaúchas, investirá R$ 500 milhões no primeiro ano do contrato.
A CCR ViaSul, nome da nova concessionária no Estado e que tem contrato de 30 anos, está fazendo testes desde a última segunda-feira (11). Os usuários ficaram oito meses sem o gasto, após o fim da concessão da Triunfo Concepa. A CCR Sul  também assumiu a BR-448 (que não terá pedágio) e trechos das BRs 386 e 101. Os pedágios nestas duas rodovias só começam a ser cobrados em fevereiro de 2020. Os sete postos estarão ativados até fevereiro de 2020. O valor unitário para automóveis é de R$ 4,40 por sentido.
> VÍDEOS JC: Confira mudanças no pedágio de Gravataí
Na freeway, os valores serão diferenciados em cada um dos postos. Em Gravataí, onde a cobrança é bidirecional, são R$ 4,40 por sentido - na metade de 2020, o posto muda do km 77 para o km 60. Já em Santo Antônio da Patrulha (km 19) o valor será duplicado, pois a cobrança é em um sentido, rumo ao Litoral, com pedágio de R$ 8,80 para automóveis (confira a tabela dos novos valores nos dois postos). Em agosto de 2020, a cobrança será bidirecional e o valor cairá pela metade, seguindo a tarifa que possivelmente já terá subido.
O valor é reajustado pelo INPC. Quando houve o leilão, em novembro, a CCR ViaSul venceu com proposta de R$ 4,30. Na assinatura do contrato, no começo de janeiro, a tarifa foi atualizada para R$ 4,40, explica a empresa. 
Em Gravataí, os funcionários já estão posicionados nas cabines, mas mais para orientar sobre o começo da operação. As cancelas estão liberadas até a meia noite desta quinta-feira (14). A pintura das instalações já está pronta e demais sinalizações, além da sede da concessionária, que foi revitalizada e o nome da CCR ViaSul está em uma faixa. As três Ambulâncias (duas de UTI e uma de resgate) e sete guinchos (cinco leves e dois pesados) devem ser posicionados a partir de sexta-feira.
Na largada do pedágio, 300 funcionários da empresa estão envolvidos com cancelas, apoio, socorro e supervisão. Outros 400 vão atuar na manutenção dos 473,4 quilômetros totais nas quatro rodovias, atividades que também começam na sexta. A previsão é que em agosto mais 350 pessoas sejam contratadas para atuar nos outros postos a serem ativados em 2020 nas BRs 386 e 101. Em janeiro do ano que vem,  a CCR ViaSul somará 2 mil trabalhadores 
O motorista Ari Fernando utiliza a rodovia todos os dias para o transporte de pacientes vê a troca de concessionária como uma mudança positiva. Sobre o valor, ele diz "está sendo bem pago pelo estado em que está a rodovia" e que "melhor pagar mais e andar numa estrada boa".
A empresa informou que o sistema de monitoramento por câmeras de vídeo nos 98,1 quilômetros da concessão não estará instalado agora, pois os equipamentos antigos, usados pela Concepa, terão de ser removidos devido à incompatibilidade com a tecnologia que a concessionará utilizará.
O novo sistema, que se será usado pela primeira vez em estradas sob gestão da empresa, chama-se Detecção Automática de Incidentes (DAI), que aporta maior precisão e agilidade no socorro, diz a CCR ViaSul. Nesta sexta, começa a análise para definir dos pontos onde serão instaladas as câmeras na BR-290 e depois nas outras rodovias. O prazo para ter o sistema em operação é de 36 meses.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/02/13/206x137/1_na_estrada-8626431.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c64a87bcb770', 'cd_midia':8626431, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/02/13/na_estrada-8626431.jpg', 'ds_midia': 'Na Estrada', 'ds_midia_credi': 'JC', 'ds_midia_titlo': 'Na Estrada', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '480', 'align': 'Left'}
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia