Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019.
Aniversário da Casa da Moeda do Brasil.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

11/02/2019 - 11h20min. Alterada em 11/02 às 11h21min

Abertura é alta, mas Ibovespa inverte sinal e cai sem notícias sobre Previdência

Estadão Conteúdo
O Ibovespa abriu em alta nesta segunda-feira (11) mas o sinal positivo durou pouco. O índice passou a mostrar volatilidade e foi para baixo, perdendo a marca dos 95 mil pontos. Às 11h03min, cedia 0,42%, aos 94.939,61 pontos.
Conforme um operador, a falta de notícias no campo político brasileiro pode estar desanimando o investidor, apesar do ambiente um pouco melhor lá fora. "Não tem nada de informações novas sobre a reforma da Previdência. O mercado parece que está se cansando", diz.
Além disso, acrescenta, as notícias que normalmente têm aparecido são negativas, citando como exemplo, a denúncia envolvendo o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro. A legenda teria criado uma candidata laranja para usar verba pública de R$ 400 mil durante as eleições de 2018. "Não tem notícia, e as que estão saindo são ruins", observa
No exterior, o clima mais tranquilo reflete expectativas de nova rodada de negociações entre Estados Unidos e China, e tem ainda estimativa de impulso das ações da Vale.
Nesta segunda-feira, os futuros de minério de ferro na China atingiram o limite de valorização diária na volta dos mercados do feriado chinês.
O movimento suaviza o tom desfavorável da semana passada no exterior, marcada pela expectativa de esfriamento mais intenso da economia mundial e ainda pelas incertezas em relação às conversas comerciais entre o governo norte-americano e o chinês.
"A alta do minério deve favorecer os papéis da Vale. Aconteceu o que muitos estavam esperando", diz o operador.
A valorização da commodity no mercado internacional da China, maior produtor e consumidor mundial do produto, além de ser o mais importante comprador da Vale, mostra que a demanda continua forte após o recente desastre na barragem mineira no dia 25 de janeiro. Vale ON terminaram a semana passada com perdas de 6,68%, repercutindo Brumadinho (MG), mas conseguiu encerrar a sexta com alta de 3,77%.
Conforme o operador, a semana "promete" para a Bolsa brasileira, tanto para cima quanto para baixo. "Pode ser de alegria ou de tristeza. Tem vencimento de opções sobre Ibovespa, que pode fazer com que o índice caia por causa da briga de comprados e vendidos. E especificamente hoje tem a queda do petróleo, que está empurrando as ações da Petrobras para baixo", observa.
Além disso, o Bradesco chama a atenção para a queda tanto das commodities agrícolas quanto das metálicas lá fora, apesar do bom humor no mercado de ativos, bem como da alta dos preços do minério de ferro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia