Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

22/01/2019 - 12h41min. Alterada em 22/01 às 12h48min

Movimento do comércio fecha 2018 com a 2ª alta anual seguida, diz Boa Vista

Movimento do comércio encerrou 2018 com alta de 1,8%, depois de fechar 2017 com expansão de 1,5%

Movimento do comércio encerrou 2018 com alta de 1,8%, depois de fechar 2017 com expansão de 1,5%


CLAITON DORNELLES /JC
Estadão Conteúdo
As vendas do varejo no País aceleraram o ritmo de crescimento em 2018 na comparação com 2017. De acordo com dados da Boa Vista, o movimento do comércio encerrou o ano passado com alta de 1,8%, depois de fechar 2017 com expansão de 1,5%.
De acordo com a entidade, apesar do desempenho modesto registrado em 2018, o indicador continuou crescendo pelo segundo ano consecutivo. Em contrapartida, em relação a novembro, houve queda de 1,5% e elevação de 0,8% ante dezembro de 2017.
Conforme a Boa Vista, o desemprego elevado e a retomada lenta da economia brasileira seguem limitando uma evolução mais robusta do comércio varejista. "Com poucos sinais de melhora no cenário econômico, espera-se que o varejo siga em um ritmo gradual de recuperação em 2019", conforme a nota.
Em dezembro, as vendas do varejo no segmento de móveis e eletrodomésticos apresentou queda de 3,4% em relação a novembro, enquanto em 2018 a categoria cresceu 1,1% após 2,2% em 2017. As vendas de tecidos, vestuários e calçados subiu 0,3% no último mês do ano passado, encerrando 2018 com recuo de 1,0%, depois do aumento de 1,2% em 2017.
A atividade do setor de supermercados, alimentos e bebidas teve retração de 0,1% no confronto com novembro, fechando 2018 com alta de 2,7% em relação à de 1,7% no ano anterior. O segmento de combustíveis e lubrificantes caiu 0,6% em dezembro ante o mês anterior, enquanto a variação acumulada do ano avançou 1,3%, depois de ceder 2,5% em 2017.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia