Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 15 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

Edição impressa de 15/01/2019. Alterada em 14/01 às 01h00min

Previsão do IPCA para 2019 passa para 4,02%, aponta Relatório Focus

Na esteira da divulgação do IPCA - o índice oficial de preços - de 2018, os economistas do mercado financeiro alteraram levemente a previsão para o indicador em 2019. O Relatório de Mercado Focus divulgado ontem pelo Banco Central, mostra que a mediana para o IPCA este ano passou de alta de 4,01% para elevação de 4,02%. Há um mês, estava em 4,07%. A projeção para o índice em 2020 seguiu em 4,00%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo nível.
O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2021, que seguiu em 3,75%. No caso de 2022, a expectativa permaneceu em 3,75%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,75% para ambos os casos.
A projeção dos economistas para a inflação está abaixo do centro da meta de 2019, de 4,25%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 2,75% a 5,75%). Para 2020, a meta é de 4%, com margem de 1,5 ponto (de 2,50% a 5,50%). No caso de 2021, a meta é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%).
O Relatório Focus indicou, também, uma leve alteração na projeção para os preços administrados em 2019. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador este ano foi de alta de 4,79% para elevação de 4,80%. Para 2020, a mediana seguiu indicando alta de 4,00%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 4,75% para os preços administrados em 2019 e elevação de 4% em 2020.
As projeções atuais do BC para os preços administrados, no cenário de mercado, indicam elevações de 5,1% em 2019 e 3,9% em 2020. Estes porcentuais foram informados no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) divulgado em dezembro de 2018.
O relatório do BC mostrou, ainda, que a mediana das projeções do IGP-M de 2019 passou de 4,30% para 4,21%. Há um mês, estava em 4,37%. No caso de 2020, o IGP-M projetado foi de 4,00% para 4,08, ante 4,00% de quatro semanas antes.
Calculados pela Fundação Getulio Vargas (FGV), os Índices Gerais de Preços (IGPs) são bastante afetados pelo desempenho do câmbio e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas.
O mercado financeiro projeta alta de 1,28% para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2018, conforme o Sistema de Expectativas de Mercado do relatório Focus. Uma semana antes, a estimativa estava em 1,30%.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/01/14/206x137/1_focus-8596277.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c3cdf57f30f0', 'cd_midia':8596277, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/01/14/focus-8596277.jpg', 'ds_midia': '.', 'ds_midia_credi': '.', 'ds_midia_titlo': '.', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '772', 'cd_midia_h': '800', 'align': 'Left'}
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia