Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Edição impressa de 11/01/2019. Alterada em 11/01 às 01h00min

IIF reduz previsão de alta do PIB mundial para 3,5%

Corte reflete o desempenho fraco do Japão e da zona do euro

Corte reflete o desempenho fraco do Japão e da zona do euro


/TORSTEN BLACKWOOD/AFP/JC

O Instituto Internacional de Finanças (IIF), formado pelos 500 maiores bancos do mundo, com sede em Washington, nos Estados Unidos, reduziu a previsão para o crescimento mundial, mas vê exagero nos temores dos investidores sobre a desaceleração da atividade no planeta. O Produto Interno Bruto (PIB) mundial deve fechar 2018 com expansão de 3,5% e avançar 3,4% em 2019, ante 3,7% e 3,6% esperados anteriormente. O corte foi influenciado por uma atividade mais fraca que o esperado no Japão e na zona do euro, enquanto os emergentes estão avançando em linha com o previsto.

"Nós reduzimos nossas previsões de crescimento modestamente, mas continuamos a ver um sólido quadro global para 2019", afirma relatório divulgado nesta quinta-feira. Para os Estados Unidos, a previsão foi mantida em crescimento de 2,9%, em 2018, e 2,5% neste ano, em meio a ainda elevados indicadores de confiança dos agentes sobre os rumos da maior economia do mundo.

O IIF ressalta que o temor de uma desaceleração da atividade econômica mundial tem estressado os mercados, mas, no geral, o quadro que se desenha em 2019 para o PIB do planeta é "sólido". Os EUA têm dado alguns sinais de desaceleração, mas este movimento é normal considerando o ciclo de negócios. No caso da economia mundial, o relatório destaca que há sinais iniciais de que a queda registrada no índice de confiança do setor industrial, um bom indicador antecedente sobre os rumos do PIB mundial, pode estar se estabilizando.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia